Pular para o conteúdo principal

RJ: Museu do Amanhã celebra o Dia do Químico, na Praça Mauá, entre os dias 20 e 22 de junho

Dia do Qúmico . Foto: Divulgação
No dia 18 de junho de 1956, o presidente Juscelino Kubitschek estabelecia a “Lei Maters”, que regularizava a profissão dos químicos no país. A partir de então, ela deixou de ser uma classe praticamente desconhecida e passou a operar mais ativamente no mercado, atuando na área tecnológica e melhorando a qualidade dos processos industriais nacionais. 

A data foi marcada como o Dia Nacional do Químico e, em comemoração a ela, o Conselho Regional de Química – Terceira Região propõe uma celebração ao profissional entre os dias 20 e 22 de junho, das 13h30 às 18h, com diversas atividades No Lab[Invertido], uma mostra impermanente e exploratória sobre os bastidores do Laboratório de Atividades do Amanhã (LAA), que acontece às terças e sextas-feiras, das 15h às 18h, no LAA.

Foto: Antônio Pacheco
O evento promete mostrar o quanto a química está presente nos mais diferentes aspectos ocupando o Laboratório de Atividade do Amanhã, em parceria ao ISI Química Verde, com o tema Tecnologia na Moda e a Química no Dia a Dia. A exposição contará com experimentações que demonstram as milhares de aplicações da química no nosso dia a dia, seja no que vestimos ou usamos, ou como ela atua no meio ambiente, seja na água ou no solo.

Seja no que usamos ou vestimos, a química está presente em nosso cotidiano, mas diversas pessoas não têm essa percepção. A proposta do Dia do Químico busca aproximar a sociedade dessa atmosfera, proporcionando a oportunidade de compreender como tais aplicações podem interferir na vida de cada um por meio de experiências práticas”, diz Isaac Plachta, presidente do Conselho Regional de Química -Terceira Região. 

Em 2017, o CRQ-III comemora 60 anos de história e para se tornar um modelo de excelência, a gestão “Mudar para Crescer” aprimorou as instalações e a parte tecnológica. “Todo o esforço visa homenagear uma história de mais de seis décadas de vitórias que essa categoria conquistou e que ainda tem a conquistar”, reforça Plachta.

Outra atração do evento será a participação do escritor Ronaldo Barcelos, da coleção de livros infantis “Histórias Seguras, Guerreiros da Amazônia”, que conta a história de guerreiros convocados para salvar a floresta da devastação. Haverá sorteio do livro para o público que participará da exposição. No mesmo dia, os pequenos aprenderão como os repelentes naturais são fabricados, transformando o momento de aprendizagem e diversão em um momento também de proteção contra os mosquitos.

Foto: Antônio Pacheco
Quem visitar o Museu do Amanhã verá a mostra de tecidos biológicos criados pelos pesquisadores Ricardo Amaral Remer, engenheiro químico e doutor em ciências, e Win de Degrave, formado em química pela Universidade de Rijksunivesiteit, na Bélgica, e doutor em Biologia Molecular. O biotecido se dá a partir de materiais orgânicos ou resíduos, ou seja, tendem a ser menos agressivos ao meio ambiente, tanto na produção quanto na disposição final (que é um novo reciclo natural). Além disso, haverá exposição dos experimentos, com base nos fundamentos da Química Verde (reações químicas), e a exposição de lâminas, com visualização de células eucarióticas e procarióticas, com a finalidade de exemplificar algumas linhas de pesquisa. Também serão apresentadas algumas vertentes sobre o uso e confecção de cosméticos “verdes”, que não são prejudiciais ao meio ambiente.

"O evento Laboratório Invertido revela como funcionam as prototipações e experimentações nos bastidores do Laboratório de Atividades de Amanhã. Para finalizar essa temporada, temos o enorme prazer de receber o Conselho Regional de Química e do ISI Química Verde. Eles trarão experimentos e demonstrações do setor químico em "tecnologia vestíveis/usáveis." Isso nos ajudará não só a abrir o caminho para a nossa próxima exposição do LAA sobre tecnologias vestíveis em Julho, mas também a celebrar os 60 anos do Conselho - um grande marco!”, enfatiza Marcela Sabino, diretora Laboratório de Atividades do Amanhã.

Serviço: Dia Nacional do Químico. Museu do Amanhã. Praça Mauá 1, Centro, RJ. De 20 de junho a 22 de junho, das 13h30 às 18h.  Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Às terças-feiras a entrada é gratuita. Bilhete Único (Museu do Amanhã + MAR): R$ 32 (inteira) e R$ 16 (meia). Informações: 21 3812-1800.

Postagens mais visitadas deste blog

RJ: Reame busca padrinhos afetivos para jovens preteridos da adoção

Instituição garante que referência familiar para convívio e autonomia social é algo fundamental e transformador

Situado em São Gonçalo e parceiro da nacionalmente reconhecida ONG Quintal de Ana, o Reame procura por padrinhos afetivos (presenciais, para aconselhamento e tutoria) a menores órfãos ou privados pela Justiça do convívio com a própria família. Ao alcance da maioria dos filantropos e dos bem intencionados, o programa propõe aos padrinhos doar tutoria e afeto a uma criança ou adolescente com menor probabilidade de adoção (acima de oito anos de idade) ou mesmo de reinserção em sua família verdadeira - dando-lhe, assim, referência familiar e autonomia social. Mais do que apoio financeiro, buscam-se altruístas que doem  presença e carinho.
"Quanto mais velho menor a procura por adoção. E se a reinserção familiar não é possível, o apadrinhamento afetivo torna-se o elo do tutelado com a sociedade. Trabalhamos na criança sua expectativa e ansiedade quanto a ter uma família, ir…

Coluna Inclusiva: 1º Congresso Brasileiro de Nanismo é confirmado no Rio de Janeiro

Conscientizar pessoas a favor de pessoas 
*Por Gisele Rocha




Pensei em mudar minha coluna e falar de um novo assunto, mas semana passada foi confirmado o 1º Congresso Brasileiro de Nanismo. Não preciso falar da minha satisfação em anunciar essa notícia. O nanismo no Brasil, apesar de ser muito comum, muitas pessoas não sabem como chamá-los, como lhe dar com a situação. O Congresso será uma peça fundamental para consolidar o nosso espaço de uma vez por todas.
Não vamos passar despercebidos, ou como atrações mais de nada, precisamos da nossa identidade, precisamos que a sociedade entenda que ter nanismo é só uma questão de estatura, pois somos grandes em tudo que fazemos, somos fotógrafos, donas de casa, crianças, advogadas, estilistas, artesãs, somos homossexuais, trans, negros, mães, amantes, homens, mulheres, médicos, artistas, somos artistas de circo também, profissão digna e de muito orgulho.

O preconceito está nos olhos e na cabeça de quem ver e de quem tem ignorância o bastante pa…

Coluna Inclusiva: Nanismo dentre as Leis de conscientização e ação

Por Gisele Rocha*


A comunidade da pessoa com nanismo no Rio de Janeiro, teve um encontro de gratidão. A presidente da Associação de Nanismo do Estado, Kenia Maria Rio se encontrou com a Deputada Daniele Guerreiro, em seu gabinete, que elaborou o Projeto de Lei, que institui o Dia Estadual do Nanismo. Em meio às emoções, a presidente agradeceu pela sensibilidade e dedicação da parlamentar, ao instituir a lei.
No Brasil são cerca de 400 tipos de nanismo e não existem planos de ação para combater o preconceito, nem para dar mais qualidade de vida a essas pessoas. Com o decreto 5.296, o nanismo é considerado deficiência no país, desde 2004, e considerados “anão ou anã” o individuo com até 1,45 metros.
A garantia dos direitos da pessoa com nanismo está assegurada por lei, mas quanto à conscientização de fato, já é outra história, na prática não funciona. As leis que estão sendo sancionadas pelo Brasil a fora serve para o combate ao preconceito, ao bullyng nas escolas, a ridicularização na …