quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

RJ: Reame busca padrinhos afetivos para jovens preteridos da adoção

Instituição garante que referência familiar para convívio e autonomia social é algo fundamental e transformador



Situado em São Gonçalo e parceiro da nacionalmente reconhecida ONG Quintal de Ana, o Reame procura por padrinhos afetivos (presenciais, para aconselhamento e tutoria) a menores órfãos ou privados pela Justiça do convívio com a própria família. Ao alcance da maioria dos filantropos e dos bem intencionados, o programa propõe aos padrinhos doar tutoria e afeto a uma criança ou adolescente com menor probabilidade de adoção (acima de oito anos de idade) ou mesmo de reinserção em sua família verdadeira - dando-lhe, assim, referência familiar e autonomia social. Mais do que apoio financeiro, buscam-se altruístas que doem  presença e carinho.

"Quanto mais velho menor a procura por adoção. E se a reinserção familiar não é possível, o apadrinhamento afetivo torna-se o elo do tutelado com a sociedade. Trabalhamos na criança sua expectativa e ansiedade quanto a ter uma família, ir morar em um lar, para que não se iluda nem sofra com o apadrinhamento que não resulta em adoção de fato, mas não tiramos sua esperança, pois é isso que alimenta o ser humano", explica Rose Brito Dias, coordenadora pedagógica do Reame.

A instituição social sem fins lucrativos, fundada em 1995 na Avenida Santa Luzia, possui 26 funcionários (pagos com verba vinda de empresas parceiras) e é presidida por um grupo de diretores, todos voluntários. Atualmente o local possui dez menores residentes (no ano passado eram 30), encaminhados pelo Juizado da Infância e Juventude, que recebem formação em escola pública próxima, acompanhamento sociopsicopedagógico – extensivo às famílias, quando há – além de atividades esportivas e cursos profissionalizantes através de parcerias.

Em 2015 houve 40% de adoção e 20% de reintegração familiar, 90% de crianças apadrinhadas, 50 familiares assistidos e 290 participações em atividades comunitárias. Através do Projeto Família Fortalecida, o vínculo familiar é solidificado de forma lúdica. Mas o trabalho não é fácil. “Grandes fatos expõem crianças à extrema vulnerabilidade, como violência doméstica, prostituição e trabalho infantil, bem como o apelo integrar o tráfico de drogas. Esses tristes fatos revelam o quanto temos que trabalhar a cada ano”, conta Gislaine Freitas, a fundadora. 

O principal, mais nobre e desafiador projeto do Reame, no entanto, talvez seja o apadrinhamento afetivo. “Uma cidade é transformada quando também as condições de vida das crianças e adolescentes são alteradas e protegidas dos diversos tipos de violência. O Reame acredita que lugar de criança é em família, e numa família que possua estabilidade socioeconômica e emocional para criá-las”, ressalta outra diretora, Renata Daflon. Para conhecer melhor a instituição e o projeto de apadrinhamento afetivo, acesse o site reame.org.br ou entre em contato com 3183-1399 e parceria@reame.org.br, além da página no Facebook.


quarta-feira, 19 de outubro de 2016

RJ: Mesquita sedia palestras e atividades de conscientização sobre a prevenção contra o câncer de mama, neste sábado (22/10)

Por Gisele Rocha


A Associação de moradores  do  bairro do BNH, em  Mesquita, irá  promover  nesse  fim de semana (22/10), uma atividade para comemorar do Outubro Rosa, mês de prevenção ao câncer de mama. Em parceria com a Prefeitura de Mesquita e o Mandato Participativo da Vereadora reeleita Cris Gêmeas, a ação vai oferecer ultrassonografia de mama, brincadeiras infantis, apresentação cultural, palestras, entre outros.

Mesquita se tornou referência quando o assunto é direito das mulheres. O tratamento e prevenção estão relacionados à qualidade de vida, antes, durante ou após a doença. A Vereadora Cris Gêmeas é autora da Lei 809/2014 que garante o trabalho de conscientização de combate ao câncer de mama no município de Mesquita no mês de outubro e da Lei 801/2013 que dispõe sobre o diagnóstico precoce do câncer e do serviço radiológico do tipo mamográfico na cidade. “Precisamos não só tratar a doença, mas conscientizar sobre a prevenção, a importância do com o autoexame e a realização de exames periódicos” destacou a parlamentar.

Serviço: Outubro Rosa. Ultrassonografia de mama, brincadeiras infantis, apresentação cultural, palestras, entre outros. Praça Elias Naval (antiga Praça dos Traillers) localizada na Avenida dos Oliveiras, esquina com a Rua Duas Leme, no BNH. Sábado dia 22 de outubro, das 9h às 12h.

domingo, 16 de outubro de 2016

"Vibrar Com Parkinson": projeto traz informações para auxiliar pacientes, familiares e profissionais da saúde


Daniela Cicarelli apoia a idealizadora do projeto Danielle Ianzer

Aos 36 anos, Danielle ficou em choque ao receber o diagnóstico de Parkinson. A cientista começou a perceber os sintomas motores quando tinha 30 anos. Nesse período de seis anos, foram várias visitas a diferentes médicos, muitos exames e alguns diagnósticos errados, até que o quinto neurologista identificou a doença de Parkinson. Pelo fato do Parkinson ser degenerativa, a demora no diagnostico favorece a evolução da doença e prejudica a qualidade de vida do paciente. Por essa razão é tão importante a informação.

No site site do projeto vibrarcomparkinson.com há informações sobre a doença , além das redes sociais e o canal no youtube. O projeto também realiza Palestras e seminários. com a participação de profissionais especializados no tratamento da doença de Parkinson, destinados a pacientes, familiares e cuidadores.

Zucatelli e Paçoca
De acordo com Organização Mundial da Saude, o Parkinson é a segunda doença neurodegenerativa que mais acomete a população mundial, 1 caso a cada 500 pessoas. A doença foi descoberta por Dr. James Parkinson em 1817, sendo chamada de Paralisia agitante. Anos após a morte de James  o neurologista Jean-Martin Charcot homenageou o médico, sugerindo o nome de Doença de Parkinson. A tulipa foi definida como simbolo da doença de Parkinson, porque um floricultor holandes, portador da doença, como homenagem, nomeou de Dr. James Parkinson uma nova variedade de tulipa vermelha.

A doença pode causar diversos sinais e sintomas, os quatro principais sintomas para definir o diagnóstico são: lentidão, tremores, rigidez e alteração postural. Ainda sem cura, a doença pode ser tratada com a combinação de diferentes abordagens que incluem: medicamentos, cirurgia, terapias, atividade física, entre outros.

O projeto Vibrar Parkinson idealizado pela cientista e pesquisadora Danielle Ianzer, tem como objetivo principal de auxiliar pacientes, familiares e cuidadores na manutenção do bem-estar e da qualidade de vida, através de divulgação e difusão de informações sobre a doença, tratamentos. A campanha de conscientização  do Projeto Vibrar Parkinson começou em julho de 2014.

Confira o vídeo do projeto sobre o tratamento do Parkinson:


Contato: 




Instagram: @vibrarcomparkinson



segunda-feira, 10 de outubro de 2016

RJ: 1° Congresso Brasileiro de Pessoas com Nanismo acontece entre os dias 21 e 23/10

Dia Nacional contra o preconceito a pessoa com Nanismo é comemorado com palestras e caminhada em Copacabana



Para comemorar o Dia de Combate ao Preconceito a Pessoa com Nanismo (25) a Associação de Nanismo do Estado do Rio de Janeiro (ANAERJ), irá realizar o 1º Congresso Brasileiro de Pessoas com Nanismo, entre os dias 21 e 23 de Outubro, com atividades de entretenimento, palestras sobre saúde e conscientização. O nanismo passou a ser considerado como deficiência no ano de 2004, através do decreto 5.296.

A data 25 de Outubro ficou oficial no mundo, em homenagem ao já falecido ator norte-americano Billy Barty, que tinha nanismo e foi uma das primeiras pessoas a lutar contra o preconceito. No Brasil, o projeto de lei nacional ainda tramita em Brasília, mas nos estados do Rio de Janeiro e Santa Catarina, a Lei já está sancionada.

Liana Hones, representante da Comissão Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Assembleia  Legislativa de Santa Catarina, destacou que o estado foi pioneiro em criar a Lei n. 16.615/15 que instituiu o dia da Pessoa com Nanismo e que esse ato motivou a conquista em outros estados, “Mas apenas a lei do dia não é o suficiente; temos que desenvolver uma série de ações” destacou Liana.

O objetivo do evento é tornar a causa conhecida pela sociedade, promovendo a inclusão e a troca de experiência com a participação ativa das pessoas com nanismo, familiares e profissionais relacionados a essa deficiência. O ator com nanismo diástrofico, Gigante Léo, participa da abertura, contando o dia a dia da deficiência de um jeito descontraído. No segundo dia, uma junta médica, vai abordar os principais problemas de saúde relacionados à deficiência, tirando dúvidas dos mais de 400 tipos e subtipos de nanismo. Já no terceiro dia, uma caminhada na orla de Copacabana, encerra as atividades de comemoração da data.

O debate sobre essa patologia é essencial para tornar visível as políticas públicas e assim possivelmente melhorar na qualidade de vida dessas pessoas que lutam para ultrapassar as barreiras sociais, culturais, científicas, mas, sobretudo, as barreiras reais do preconceito”, afirmou a presidente da ANAERJ, Kenia Maria Rio.

As inscrições acontecem até o dia 10 de outubro, pelo site www.congressonanismo.com, no valor de R$65 e as camisas para a passeata de Copacabana, podem ser adquiridas via depósito, com retirada no dia do evento, através dados da conta: Banco Bradesco / Ag: 3176-3 / Conta: 445533-9 / CNPJ: 09014559/0001-45 - ANAERJ

Confira a programação completa no site www.congressonanismo.com 

Mais informações pelo e-mail: emailcongressonanismo@outlook.com

Nutricionista inova na criação de e-book com receitas de doces saudáveis

Alimentos traz benefícios a todos, mas auxiliam principalmente pacientes em processo de emagrecimento


A nutricionista e coach Loraine Ferraz acaba de criar uma ideia para deixar limpas as consciências das pessoas que adoram doces, mas morrem de medo dos quilos a mais: um e-book sobre essas delícias que são, por incríveis que pareçam, extremamente saudáveis. A novidade surge logo após perceber que a maioria dos pacientes formulava várias questões sobre o assunto. Além disso, o material contém dicas comportamentais. E a aquisição até 30 de outubro garante um bônus como cortesia.


Há mais de 16 anos, Ferraz trabalha com auxílios a pessoas que precisam perder peso. Além dos atendimentos presenciais, como especialista motivacional, criou um grupo online em que, semanalmente, incentiva dezenas de homens e mulheres pela reconquista de suas medidas ideais. Nos encontros, percebeu que quase todos questionavam sobre as ingestões de doces.

"Todo mundo perguntava o que podia comer como sobremesa, se havia uma quantidade exata de doces por dia e se todos os esforços que faziam não seriam em vão, no caso de ingestão dessas guloseimas. Foi aí que decidi preparar um material pra tornar essas pessoas mais independentes. Os intuitos são manter a saúde, não ganhar peso e, principalmente, dar sumiço à culpa", relata.

A criação agradou pacientes, mas tem feito sucesso com os compulsivos por doces com tipos físicos variados. De acordo com a nutricionista, o formato digital ajudou para que mais pessoas se interessassem. "Estamos em uma época em que todos fazem tudo pelos smartphones: transferem dinheiro, pagam contas e se comunicam. Daí, criei o e-book para que o leitor tenha acesso a hora que quiser, e dá pra carregar a qualquer lugar".

A fim de auxiliar completamente os leitores do material, o e-book de doces saudáveis acompanha outro sobre adoçantes. Mas, normalmente, são adquiridos de forma separada. Por tempo limitado, ao comprar o primeiro, o outro é gratuito. "Na verdade, são vendidos separadamente, mas são complementares. E o material proporciona efeitos inenarráveis, inclusive para os que pretendem aprender como comer doces de forma a não prejudicar a saúde".

 Informações: www.loraineferraz.com.br.
   

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Abram alas para o Outubro Rosa 2016!

Campanha de conscientização sobre prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama começa neste sábado com vasta programação até dia 31



A Associação dos Amigos e Amigas da Mama (Adama) de Niterói promove mais uma vez o Outubro Rosa da cidade. A programação é voltada para alertar mulheres - e também homens - sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer mamário. Com 20 anos de existência comemorados em 2016, a entidade reforça em todos os outubros a campanha que na verdade é sua bandeira de luta e atividade durante o ano inteiro. E só quem já passou pelo problema sabe a dor e a tristeza de ter um câncer, tanto para o paciente quanto para a família e os amigos, que acabam sofrendo junto.
Thereza Cypreste, em primeiro plano, com associadas da Adama
Fundada pela mastologista Thereza Cypreste e presidida por Teresa Gianelli – uma “vitoriosa” na luta contra a doença – a Adama começa os trabalhos cor de rosa no dia com panfletagem e orientações na Praia de Icaraí (altura da Rua Álvares de Azevedo) às 9h e depois na Tavares de Macedo, em frente ao número 244, das 11h às 17h. No domingo dia 2, a Capela de São Pedro em Jurujuba será iluminada de luz rosa após uma missa especial, às 18h30. Pede-se para o público ir vestido de cor de rosa.

Na segunda dia 3, tem a roda de conversa “Câncer de Mama: Mitos e Verdades” no Sincor às 14h, e na terça dia 4 às 15h uma ação na loja C.Nazar, do Shopping Icaraí. Quarta é a vez das “Adametes” (mulheres atendidas pela Adama) apresentarem suas histórias de vida em um encontro aberto na Policlínica Geral da Marinha de Niterói às 14h. Quinta dia 6 às 14h a roda de conversa sobre os mitos e as verdades do câncer de mama será na CLIN, com participação da psicóloga Thatiana Milchensen – que também comanda o papo com o público na sexta dia 7 no SESC às 14h, ao lado das Adametes.

 As associadas da Adama com a fundadora Theresa Gianelli, à esquerda
Segunda dia 10 a agenda continua com roda de conversa com a psicóloga Regina Fernandes no Espaço Avançado UFF às 9h, e continua às 14h com palestra de Thereza Cypreste no Posto do Médico de Família Cafubá III – a qual estará também na terça dia 11 na Policlínica Regional do Fonseca às 10h e na Câmara Municipal às 13h30. Quarta dia 12 às 8h acontece a quarta Caminhada Rosa Adama Com Maria, com saída do Forte Rio Branco e chegada ao Forte São Luís, onde haverá missa campal.

Num papo franco e claro, a fundadora da entidade fala da doença, sua prevenção e tratamento na quinta dia 13 às 14h no CEU Jurujuba e na sexta dia 14 às 9h na Associação dos Aposentados do Barreto. No mesmo dia, às 15h, a loja Swains da Moreira César distribui rosas e panfleta. Sábado dia 15 das 11h às 16h é a vez da Richards da Belisário Augusto promover a distribuição de flores e de folhetos explicativos. No dia seguinte, domingo 16, a partir das 17h, a Toca da Gambá veste rosa regada a samba da melhor qualidade, e reverte a renda dos ingressos à Adama.

Dia 17, haverá apresentação das Adametes na policlínica de Maria Paula às 9h e roda de conversa no posto de saúde do Engenho do Mato às 9h e no posto do Maravista às 13h; dia 18 às 9h a palestra “Desafios Enfrentados Pelas Mulheres Vítimas de Câncer após o Tratamento” na Alerj com participação de associadas da Adama Niterói; dia 19, distribuições de rosas e folhetos informativos na Universidade Estácio de Sá (Rua José Clemente) às 9h, roda de conversa no posto da Ilha da Conceição às 13h e no MV1 da Gavião Peixoto às 18h; dia 20 as palestras serão no posto de saúde de Santa Bárbara às 10h, no NEPP Niterói às 14h e na Drogaria Gallanti da José Clemente às 15h;

Dia 21 haverá papo aberto e esclarecedor com psicólogas no Instituto Fluminense de Saúde Mental (São Domingos) às 10h e no NHJ do Brasil às 11h, além de distribuição de rosas e folhetos informativos às 14h na Unhas Express da Moreira César. Dia 22 às 8h a Adama participa do segundo Encontro Inter-religioso Unidos Pelo Outubro Rosa na SBMRJ. Dia 24 as rodas de conversa serão no posto do médico de família do Cafubá I às 9h e do Cafubá II às 13h. Dia 25 a palestra da Dra. Thereza será na PUC às 14h e dia 26 no Colégio Notre Dame de Ipanema às 9h e no Serviço de Geriatria e Gerontologia da UFF (Jansen de Mello) às 13h; no mesmo dia de manhã, as Adametes e outras ex-pacientes panfletam no hospital Malu Sampaio.

Dia 27 a roda de conversa sobre o câncer de mama acontece na Clínica da Mulher Danielle Bastos (Moreira César) e no Grupo Espírita Caminho de Luz, ambas às 9h, rolando simultaneamente a apresentação das Adametes no Horto do Barreto; no mesmo dia às 19h o sambista, compositor e cantor Inácio Rios – parceiro de longa data da campanha e da entidade – faz show beneficente no Teatro Municipal de Niterói, de encerramento do Outubro Rosa 2016 na cidade, com renda revertida para a Adama. Mas a programação ainda continua dia 28 com palestras na concessionária EcoPonte às 10h e às 14h; dia 29 de manhã com a Caminhada Unidos Pelo Outubro Rosa na praça principal de Petrópolis; dia 30 novamente na Ponte às 10h e 14h; e dia 31 com rodas de conversa às 9h no PSF Colônia e às 14h na Universidade da Terceira Idade – a Univerti.


segunda-feira, 12 de setembro de 2016

RJ: Granato inaugura clínica popular no Carioca Shopping com exames a partir de R$4, no sábado (17/09)

Empresa promove ação gratuita em Vila da Penha para comemorar inauguração Rio de Janeiro

Policlínica Granato vai disponibilizar consultas e exames a preços populares. Ela já está presente nos bairros de São Conrado, Tijuca e Madureira e inaugura em setembro sua nova unidade no Carioca Shopping, na Vila da Penha. Para comemorar a inauguração, a policlínica, em parceria com o shopping, realizará a ação gratuita de atendimento à população "Granato em Dia com a Saúde", dia 17 de setembro (sábado), das 10 às 17h, nas entradas Supermercado Extra e Praça de Alimentação - 1º piso do shopping.

Entre as atividades oferecidas estão a aferição da pressão arterial, dosagem do colesterol e dosagem da glicemia. “Estamos muito felizes com a nova unidade. Em instalações amplas e completas, a Policlínica Granato vai proporcionar, com comodidade e rapidez, os melhores cuidados na área da saúde a que toda pessoa tem direito”, afirma o Dr. Paulo Granato, médico e idealizador do empreendimento.

A nova unidade oferece, em uma área de 500 m², atendimento médico de diversas especialidades, exames laboratoriais e de imagem, além de atendimento odontológico com preços acessíveis à população. Os exames custam a partir de R$ 4 (Glicose) e consultas a partir de R$ 69. "Temos capacidade para atender até 700 pacientes por dia, sempre oferecendo qualidade e tecnologia em todos procedimentos", completa o médico.

A Granato já realizou cerca de 900.000 atendimentos desde que foi criada em 2008. A clínica tem como objetivo oferecer atendimento médico e exames complementares de qualidade, com conforto e agilidade a preços populares para o público que não tem plano de saúde ou para aqueles que possuem planos privados, mas não conseguem agendar seus exames e consultas em tempo adequado. 

Serviço: Inauguração da Unidade Carioca Shopping/ Campanha "Granato em Dia com a Saúde". Carioca Shopping - Av. Vicente de Carvalho, 909 - Vila da Penha (Entradas do Extra e Praça de Alimentação, 1º piso). Sábado dia 17 de Setembro de 2016, das 10h às 17h. Grátis.


sexta-feira, 9 de setembro de 2016

RJ: Paróquia São José da Lagoa inaugura a instalação de 56 painéis solares que geram energia, neste sábado (10/09)


A Paróquia São José da Lagoa, localizada na Zona Sul do Rio de Janeiro, tornou-se a primeira igreja do Brasil a gerar a sua própria energia. Nesse sábado, 10 de setembro, às 7h, será a inauguração do sistema de geração solar pelo arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, que vai abençoar um dos painéis.

Por meio de uma parceria da Arquidiocese do Rio de Janeiro com FURNAS, Casaleve e Instituto-E, a igreja, que tem como pároco Padre Omar, recebeu 56 painéis fotovoltaicos, responsáveis por uma geração de 1700 kWh/mês, o equivalente a 40% do consumo local.

Batizado de “Igreja Solar”, o projeto, que contou com o apoio técnico de FURNAS e foi elaborado pela Casaleve, prevê uma economia de cerca de R$ 20 mil por ano na conta de luz. As placas fotovoltaicas foram instaladas no teto da igreja em formato de cruz e podem ser vistas do Cristo Redentor, no alto do Morro do Corcovado. A principal inspiração da iniciativa foi a “Encíclica Verde”, documento escrito, em 2015, pelo Papa Francisco que trata de questões socioambientais mundiais.

O documento aborda o uso e a produção da energia elétrica. “A importância desse projeto é evidenciar que estamos adequados ao desejo do Papa Francisco, a partir da sua Encíclica Verde, Laudato Si, conceito de sustentabilidade e aproveitamento da energia solar e, ao mesmo tempo, um pensamento que deve se ampliar a tantas outras igrejas”, comenta Padre Omar.

Ainda neste ano, a paróquia realizará um workshop, em parceria com Furnas, para divulgação do projeto e dos conceitos de sustentabilidade para as arquidioceses de todo o Brasil. A Paróquia São José da Lagoa fica na Avenida Borges de Medeiros, 2735, no bairro da Lagoa.

Apoio técnico de peso

FURNAS possui um corpo técnico qualificado, responsável pela implantação de diversos projetos de eficiência energética pelo país, inclusive do edifício do Ministério de Minas e Energia, em Brasília. Além disso, a empresa promove, desde 2013, o Furnas Educa, programa que ensina a crianças de escolas municipais de todo o país noções de preservação ambiental, recursos hídricos e eficiência energética.

O apoio de FURNAS ao projeto da Paróquia São José é mais uma das inciativas que se encaixam com o perfil de empresa cidadã e ambientalmente responsável”, afirma Alexandre Pinhel, engenheiro. FURNAS indicou o projeto mais adequado para o perfil da Paróquia, com o objetivo de torná-la autossustentável no futuro. O projeto conta também com um aplicativo de celular que permite ao usuário saber a quantidade de energia gerada.


terça-feira, 9 de agosto de 2016

Coluna Inclusiva: Inclusão para incluir nos Jogos Paralímpicos Rio 2016

*Por Gisele Rocha

Bruno Carrá
Inclusão é uma palavra muito bonita que muitos gostam de pronunciar, mas quando a questão é por em prática, o “buraco é mais embaixo”. Pegando o gancho da Olímpiada e Paralímpiada Rio 2016, no RJ, me deparei com dois atletas com nanismo, orgulho demais, mas confesso que achei pouco. Acredito que as cidades, clubes e associações poderiam se envolver mais e também as próprias pessoas com a deficiência praticar e se “jogar” no esporte.

O Bruno Carrá irá representar o nanismo no Halterofilismo e o Jonatan Santos, no Atletismo. Acredito que temos outros paratletas que desconheço, não só os brasileiros, o que deixa o segmento esperançoso, e que o dever de casa está sendo feito. Em Nova Iguaçu o paratleta com nanismo, Adriel de Souza carregou a tocha, durante sua passagem pela cidade iguaçuana, isso sim é inclusão.

A participação de uma criança com nanismo na abertura dos jogos, na última sexta-feira, emocionou centenas de pessoas, fazendo com que na mesma hora, o segmento se movimentasse nas redes sociais. Isso sim é inclusão, na origem da palavra. O pequeno Carter é canadense nasceu com acondroplasia e as complicações da deficiência requerem muitas cirurgias, assim ele se hospeda na Casa Ronald McDonald, para tratamento fora de sua cidade. A entidade enviou 5 crianças para participar da solenidade. Os Jogos Paralímpicos estão rendendo para o nanismo, deficiência que passava despercebida e agora somos referência na inclusão.

Jonatan Santos
Nos jogos testes fiz uma visita a Arena 1 e vi que a acessibilidade está de parabéns, mas a inclusão deixou um pouco a desejar, já que os cadeirantes tem um lugar reservado e não podem transitar pelas arquibancadas, tem sempre o lugar do deficiente. Sempre estamos na ponta, por ser mais fácil. Já repararam? O que você acha?

Acredito em uma inclusão total, com espaço para cadeiras, com arquibancadas mais baixas, com cadeiras adaptáveis, áudio descrição e etc... Pode até ser uma utopia, ou uma grande viajem da minha cabeça, mas penso assim. Sempre estamos na ponta, por ser mais fácil.

Vamos pensar em uma inclusão para incluir? Desafio você!


*Gisele Rocha, 29 anos, Jornalista, presidente da Inclusiva Comunicação e Assessora de Imprensa da Secretaria da Pessoa com Deficiência e dos Idosos de Mesquita- RJ. Casada, mãe da Anna Beatriz (6) e da Luiza Vitória (4), a última com deficiência, Displasia Diástrofica (caso raro de nanismo). Quem quiser dar alguma opinião ou indicar algum assunto pode enviar um email para inclusivacomunicacao@gmail.com

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Norton: 5 dicas para que as crianças joguem Pokémon Go em segurança

Jogo é febre mundial e foi lançado ontem no País, conheça os perigos reais aos pequenos



Pokémon Go foi lançado no Brasil após muita espera de seus fãs, pessoas de todas as idades que estavam ansiosas para capturar seus próprios “monstrinhos de bolso”. O jogo utiliza a realidade aumentada e a localização geográfica (GPS) para transportar a pessoa para o universo do desenho, usando o mundo real. O objetivo do jogador é caminhar para encontrar os Pokémons e outros itens. Apesar de muito divertido, o jogo oferece perigos virtuais e reais, principalmente para as crianças. 

Veja abaixo 5 dicas que o engenheiro de segurança da Norton, Nelson Barbosa, listou para os pais orientarem seus filhos:

1. Cuidado com estranhos. O jogo envolve interação com outros jogadores na vida real, em áreas chamadas de ginásios e Pokéstops. Neste locais ocorrem as batalhas entre Pokémons e a compra dos itens, respectivamente. Os criminosos podem se aproveitar disso para roubar as vítimas. Por isto, caso não possa supervisionar a criança, sempre a oriente a sair em grupos de amigos.

2. Use rastreamento de localização. Caso o seu filho estiver jogando sozinho e fora de casa, utilize um aplicativo para monitorar a sua localização. O Norton Family Premier (disponível para iOS e Android) acompanha seu filho em tempo real com coordenadas de seu GPS em um mapa.

3. Estabeleça limites. Para capturar os Pokémons, é necessário caminhar pelas ruas. Estabelecer limites para que as crianças não explorem locais muito afastados sozinhas.

4. Fique atento à “Lure” de estranhos. O “Lure” é um item que serve para atrair Pokémons a Pokéstops. Quando um jogador utiliza o item, todos os usuários próximos conseguem ver e se aproveitar deste recurso. É possível que criminosos o usem para atrair vítimas a um local. Oriente as crianças sobre este perigo e defina um local seguro (ex.: um shopping próximo) para que elas possam brincar tranquilamente.

5. Controle as compras dentro do aplicativo. Assim como muitos outros jogos, o Pokémon Go oferece compras dentro do aplicativo e os pais precisam supervisionar esta opção de perto por meio de um controle parental no dispositivo. No caso do iOS, a Apple possui um recurso chamado “Pedir para Comprar”, que irá alertar sempre que alguém da família tentar comprar ou baixar algo e lhe pedirá permissão. Já para dispositivos Android, o Google Play Store possui uma opção de autenticação para compras dentro de aplicativos. Mantenha sempre estas opções ativadas.

Fonte: Norton

quarta-feira, 20 de julho de 2016

RJ: Campeões Olímpicos convocam população a doar sangue

Atletas participam de campanha que busca abastecer os estoques do Hemorio até o início dos Jogos Olímpicos Rio 2016


   Apoiam a causa os atletas Flávio Canto, Jackie Silva e Sandra / Divulgação / Hemorio
 
Nas arenas esportivas, eles são grandes campeões. Fora delas, estão convocando a população para uma corrida solidária ao principal hemocentro do estado: com o mote “Eu vou participar dos Jogos. Eu sou Doador no Rio 2016”, a campanha lançada pelo Hemorio conta com o apoio dos atletas Flávio Canto (judô), Jackie Silva e Sandra (vôlei de praia) e Rosinha dos Santos (arremesso de peso), e tem como objetivo levar, em média, cerca de 400 doadores por dia ao hemocentro até o início do mês de agosto.

"Vamos usar o espírito olímpico para fazer o bem! É muito importante que todos participem e contribuam, comparecendo ao Hemorio para doar. Tenho um amigo que está em tratamento e sei o quanto é necessário que as doações de sangue sejam regulares", destaca Flávio Canto.

Durante todo o período dos Jogos, o salão de doadores do Hemorio funcionará normalmente, entre 7h e 18h, de segunda a domingo. As únicas exceções são os domingos nos dias 14 e 21 de agosto, datas em que serão realizadas as provas de Maratona Feminina e Masculina, que exigem o fechamento das ruas do entorno, dificultando o acesso ao hemocentro, já que a chegada das provas se dará no Sambódromo, a dois quarteirões de distância da unidade.

Rosinha dos Santos / Divulgação / Hemorio
Para Rosinha dos Santos, paratleta de arremesso de peso e disco, estar na campanha é fazer parte de uma corrente do bem. "Para mim, abraçar esta causa é estender a mão ao próximo. É preciso disseminar informação e conscientizar a sociedade da importância deste ato solidário. Isso me fez participar da campanha", comenta. 

A ação vai contar ainda com um totem personalizado para que os doadores possam tirar fotos no hemocentro e postar nas redes sociais, incentivando amigos a colaborar. As jogadoras de vôlei Sandra Pires e Jackie Silva fazem coro e lembram que a doação de sangue é um ato de cidadania, que tem tudo a ver com o esporte.

"Doar sangue é salvar vidas através de uma atitude muito simples. Por isso, como cidadã consciente, aderi à campanha e dei a minha colaboração. É nosso dever fazer o bem",  finaliza Jackie.

Segundo o diretor da unidade, Luiz Amorim, com a presença de um grande número de turistas durante os jogos, é essencial que os estoques estejam abastecidos. "Nesta reta final, esperamos que as pessoas compareçam para doar sangue e nos ajudem a manter o abastecimento do Hemorio. Temos capacidade para receber até 500 doadores por dia e queremos atingir a meta de, pelo menos, 400 voluntários diariamente", ressalta Amorim.
  
Condições básicas para doar sangue:

•  Ter entre 16 e 68 anos;
•   Pesar mais de 50 kg;
•   Estar bem de saúde;
•   Portar um documento de identidade oficial com foto;
•   Evitar alimentos gordurosos nas 3 horas que antecedem a doação;
•    Não é necessário estar em jejum.

Serviço: Localizado na Rua Frei Caneca, n°8, no Centro da Cidade, o Hemorio funciona todos os dias, das 7h às 18h, incluindo sábados, domingos e feriados. Para mais informações, o voluntário deve ligar para o Disque Sangue (0800 282 0708), que esclarece dúvidas e informa o endereço dos outros 26 postos de coleta distribuídos pelo estado.


SP: Inscrições em projeto de musicalização para crianças e adolescentes com autismo estão abertas na UFSCar

Aulas são gratuitas e começarão na segunda quinzena de agosto




A Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) recebe até o dia 10 de agosto as inscrições no curso gratuito de Musicalização para crianças e adolescentes com autismo. O objetivo é oferecer atividades musicais direcionadas especialmente a crianças e adolescentes com o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), possibilitando um ambiente rico musicalmente, favorecendo, assim, oportunidades de socialização e aprendizagem.

A educadora musical e doutoranda Valéria Peres Asnis explica que a música desenvolve a acuidade auditiva, a criatividade, a coordenação motora, a atenção e a comunicação facilitando o enriquecimento intelectual, a autoconfiança e proporcionando equilíbrio emocional. "Em se tratando de pessoas com o TEA, atividades musicais podem ser um meio facilitador para melhorar problemas de comportamento e de interação social, permitindo que elas se comuniquem com o outro, desenvolva noção corporal e melhore sua capacidade psicomotora", relata.

As famílias interessadas em participar podem enviar email para valeria.musicautismo@gmail.com, e na sequência, será enviado um formulário para preenchimento. A previsão é que as aulas comecem a partir de 15 de agosto. A atividade será desenvolvida uma vez por semana durante uma hora. As aulas serão no prédio do PPGEEs, que fica na área Sul do Campus São Carlos. 



TV Cultura estreia série sobre atletas olímpicos e paralímpicos (22/07)

Vitórias Além do Pódio vai ao ar na TV Cultura, nesta sexta-feira



Com a proximidade dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, estreia na TV Cultura nesta sexta-feira (22/07), às 22h30, a série inédita na TV aberta Vitórias Além do Pódio – O Esporte Transformando Vidas.

Com cinco episódios de 26 minutos cada, em Vitórias Além do Pódio as vidas de atletas se entrelaçam. Mesmo que, na realidade, muitas vezes eles nunca se encontrem. Cada episódio é estruturado pelo relato de dois esportistas (um olímpico e um paralímpico) de diferentes modalidades, com uma estética de narrativa ao mesmo tempo humana e poética.

São retratadas as histórias e desafios dos atletas olímpicos Maria Portela, do judô; Iris Tang Sing, do taekwondo; Felipe Wu, do tiro esportivo; Juliana Veloso, de saltos ornamentais; e Daniel Xavier, do tiro com arco. Já os paralímpicos são Edson Dantas, do triatlo; Natália Mayara, do tênis sobre rodas; Renê Pereira, do remo; Paola Kloker, do basquete sobre rodas; e Regiane Nunes, da natação.


Primeiro Episódio – Vencer a si mesma
Nesse episódio de estreia, são contadas as histórias de Maria Portela e Regiane Nunes. A narrativa dessas duas mulheres vai além do fato de viverem do esporte; elas tornaram-se atletas à medida que descobriram suas potencialidades por meio de suas fraquezas.

Tendo enfrentado incontáveis desafios, Maria Portela, judoca, sucumbiu em Londres sua primeira experiência em tatames olímpicos. Segundo ela, um apagão em sua memória fez com que não se lembrasse de nada. Na outra ponta, Regiane Nunes, nadadora paralímpica, foi perdendo a visão gradativamente, fruto de uma doença degenerativa, tendo de enxergar a si mesma de outra perspectiva.

Para ambas, foram momentos decisivos e marcantes em suas carreiras. Maria tem a luta dentro e fora do tatame como sua companheira, e considera o apagão o momento mais difícil de sua vida, pois tem vontade de voltar no tempo e reviver a disputa. Enquanto que para Regiane, a perda da visão fez com que, apenas dentro da piscina, a atleta revivesse a sensação de ser igual a todos.


terça-feira, 19 de julho de 2016

Coluna Inclusiva: 1º Congresso Brasileiro de Nanismo é confirmado no Rio de Janeiro

Conscientizar pessoas a favor de pessoas 


*Por Gisele Rocha




Pensei em mudar minha coluna e falar de um novo assunto, mas semana passada foi confirmado o 1º Congresso Brasileiro de Nanismo. Não preciso falar da minha satisfação em anunciar essa notícia. O nanismo no Brasil, apesar de ser muito comum, muitas pessoas não sabem como chamá-los, como lhe dar com a situação. O Congresso será uma peça fundamental para consolidar o nosso espaço de uma vez por todas.

Não vamos passar despercebidos, ou como atrações mais de nada, precisamos da nossa identidade, precisamos que a sociedade entenda que ter nanismo é só uma questão de estatura, pois somos grandes em tudo que fazemos, somos fotógrafos, donas de casa, crianças, advogadas, estilistas, artesãs, somos homossexuais, trans, negros, mães, amantes, homens, mulheres, médicos, artistas, somos artistas de circo também, profissão digna e de muito orgulho.

O preconceito está nos olhos e na cabeça de quem ver e de quem tem ignorância o bastante para o tal. Além de festejar nossa lei estadual contra o preconceito a pessoa com nanismo, e festejar ou fomentar a lei acional, ainda em trâmite em Brasília, o congresso vai tirar dúvidas sobre saúde,moda e a nossa principal questão, a conscientização de pessoas a favor de pessoas, engraçado né.
  
O evento vai acontecer nos dias 21, 22 e 23 de Outubro, mês da comemoração do Dia Estadual do Nanismo (25), Lei recém-sancionada de N° 7319 de 22 de junho de 2016, da deputada estadual Daniele Guerreiro (PMDB) no estado do RJ e outra conquista no estado de Santa Catarina, onde também já existe a lei já em vigor, Lei  N° 16.615 de 30 de abril de 2015, de autoria do deputado estadual José Nei Alberton Ascari (PSD). Nos três dias de atividades serão abordados temas como, moda, saúde e conscientização, as três áreas mais preocupantes dentro da questão da deficiência.

Programação: No dia 21, um desfile de moda para pessoas com baixa estatura de modelos com nanismo, vai agitar uma casa cultural da cidade, que ainda será definida, onde vão participar adultos e crianças com a deficiência. Já no segundo dia (22), médicos de todas as especialidades voltados para o nanismo, irão ministrar palestras na área da saúde, no Novotel Botafogo, em Botafogo. No último dia (23) a ANAERJ vai promover uma caminhada na orla da praia de Copacabana, conscientizando a sociedade para o combate ao preconceito a pessoa com nanismo.

Segundo a presidente Kenia Maria Rio, esse tipo de congresso já acontece fora do Brasil e já estão confirmados médicos de outros países e também nacionais como ortopedistas, geneticistas e pediatras especializados nesse tipo de deficiência, com mais de 400 tipos e subtipos. A organização do evento espera cerca de 500 pessoas nos três dias de atividade. “Vamos contar também com famílias acolhedoras, para quem não puder pagar estadia na cidade” destacou Kenia.

Em breve serão divulgados os acessos e links para as inscrições com todos locais e horários confirmados.

*Gisele Rocha, 29 anos, Jornalista, presidente da Inclusiva Comunicação e Assessora de Imprensa da Secretaria da Pessoa com Deficiência e dos Idosos de Mesquita- RJ. Casada, mãe da Anna Beatriz (6) e da Luiza Vitória (4), a última com deficiência, Displasia Diástrofica (caso raro de nanismo). Quem quiser dar alguma opinião ou indicar algum assunto pode enviar um email para inclusivacomunicacao@gmail.com

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Yoga ajuda no desenvolvimento de crianças ansiosas e com dificuldade de concentração

A prática já vem sendo indicada por alguns educadores



As crianças recebem um bombardeio de informações ao longo do dia, os pais, professores, TV, videogame, computador, celular e internet. Além disso, elas acumulam atividades e ficam exaustas, o resultado é uma geração estressada, sem concentração e ansiosa.

Por esse motivo muitos educadores sugerem o yoga para mudar esse cenário. Essa prática milenar ajuda a trabalhar a concentração e a respiração, diminuindo o nível de estresse, ansiedade e cansaço mental. Essa prática é milenar e há algum tempo vem sendo incorporada com sucesso no dia a dia dos pequenos.

A prática constante vai produzindo estes efeitos que tem como resultado o bem estar físico e mental e preparando o corpo e a mente para a meditação. Duas vezes por semana temos aulas de yoga no Espaço Educacional e isso trouxe muitos resultados positivos”, afirma Jamile Coelho, diretora do Espaço Educacional.

Além disso, o Yoga é muito eficiente para aqueles alunos que têm dificuldade de concentração e não possuem autoconfiança. Com exercícios que trabalham a respiração, a terapia é ideal para gerir a energia corretamente e a criança cresce saudável tanto na mente quanto no corpo.


quinta-feira, 30 de junho de 2016

RJ: Balada Matinal Wake mistura yoga e diversão na Gávea (13/07)

Rio receberá festa que reinventa a lógica urbana e traz DJs, performances, yoga e gastronomia saudável a partir das 7h30 da manhã



No próximo dia 13 de julho, quarta-feira, o Rio vai receber mais uma edição da primeira balada matinal do Brasil. Conhecida como WAKE, a festa acontece no 00 Rio de Janeiro, no Planetário da Gávea, às 7h30 da matina. O evento, que conta com yoga, música, dança e gastronomia saudável, começa logo nas primeiras horas da manhã e termina pontualmente às 9h30.

A WAKE é uma balada matinal que traz você para o aqui e agora por meio de uma celebração. É um convite para uma manhã mais prazerosa e um dia com mais significado. Um evento inusitado em que os todos se doam para participar, sendo que 100% do lucro é revertido para projetos sociais da cidade”, conta Lourenço Bustani, idealizador do evento. WAKE, do inglês ”acordar” (e que remete também a "awake" = despertar), propõe uma celebração da vida em pleno meio de semana, à luz do dia.

Como praxe em todas as edições, todo o lucro da venda de ingressos será doado para projetos sociais locais, visando estimular o protagonismo de cada um na construção de um futuro coletivo mais favorável. Nesta edição, o destinatário das doações será a Harmonicanto, uma organização que empodera jovens por meio da música na Comunidade do Cantagalo. A Harmonicanto estará presente no evento para promover o contato entre o público e o beneficiário da doação.

Os parceiros da festa, que incluem DJs, professora de yoga, instrumentistas, empresas de alimentos e bebidas, entre outros serviços e performances, também entram no espírito doador e contribuem seus produtos ou serviços de forma gratuita. Tudo começa às 7h30, com uma prática de yoga, liderada pela catarinense Fernanda Cunha. A partir das 8h15, DJs assumem o comando da pista de dança até 9h15, quando um encerramento especial repõe as pessoas para o dia de trabalho.

Esta edição contará ainda com o lançamento carioca do projeto AYNI, um experimento musical que funde batidas pulsantes e sons imersivos da selva, por meio de frequências que conectam pessoas com sua essência, despertando-as para a energia do coletivo. 

O projeto é resultado de uma ampla troca de conhecimentos, interesses e vivências de Junior C, pioneiro da mais recente safra de DJs e produtores da cena eletrônica brasileira e Lourenço Bustani, idealizador da WAKE e empreendedor da Economia Criativa e Consciente no Brasil.

Nesta edição, a dupla estará acompanhada ainda do Rodrigo Sha, saxofonista e multi-instrumentista conhecido por ser um dos pioneiros em reinventar a música eletrônica no Brasil. Além disso, é praticante de yoga e meditação há muito anos e se identifica com este lifestyle, que inclusive se traduz na sua música.

Será uma apresentação conectando pessoas, revisitando a ancestralidade sagrada da música junto com levadas eletrônicas e improvisos contemporâneos. Será transcendental, experimental e totalmente universal. A proposta é essa: entender a música como a conexão entre o universo e nosso coração. Participar da Wake será mágico e é essencial pra mim nesse momento como pessoa, assim como  artisticamente, por fazer novos parceiros na música, na vida e explorar novos sons, criando um novo ambiente artístico”, afirma Rodrigo.


Serviço: WAKE no 00 Rio de Janeiro. Av. Padre Leonel Franca 240, Planetário da Gávea. Quarta-feira dia 13 de julho. Das 7h30 às 9h30. R$50 yoga + pista. R$40 só pista. Informações: 21 2540-8041.


Confirme sua presença no Facebook: www.facebook.com/events/248835728818858/


terça-feira, 28 de junho de 2016

Coluna Inclusiva: Do Direito a acessibilidade? Da teoria a realidade

                                                                                                                  Foto do arquivo: Juliana Santos

Por Gisele Rocha*

Acessibilidade é um atributo essencial do ambiente que garante a melhora da qualidade de vida das pessoas. Deve estar presente nos espaços, no meio físico, no transporte, na informação e comunicação, inclusive nos sistemas e tecnologias da informação e comunicação, bem como em outros serviços e instalações abertos ao público e de uso público, tanto na cidade, quanto no campo”. Esse texto esta no site da secretária da pessoa com deficiência do governo federal, mas não condiz com a realidade da acessibilidade para pessoas com deficiência do nosso país.

As cidades estão até tendo boa vontade e “quebrando o galho”, mas só isso não basta. Ontem enquanto eu navegava nas redes sociais, vi uma publicação que me despertou a vontade de escrever sobre esse tema. A Juliana Santos é estudante do curso de assistência social e conselheira tutelar da cidade do Rio de Janeiro, ela tem nanismo e está fazendo um projeto de pesquisa voltado para acessibilidade nos transportes públicos. A Juliana tirou fotos que mostram o despreparo dos trens da Supervia, Mêtro Rio e dos ônibus. De acordo com o Art 53 da Lei Brasileira de Inclusão, a acessibilidade é direito que garante à pessoa com deficiência ou com mobilidade reduzida viver de forma independente e exercer seus direitos de cidadania e de participação social.

No caso do nanismo, deficiência que vivo com a minha filha diariamente, o espaço entre o trem e a plataforma é inadequado, trazendo perigo de vida para a pessoa com baixa estatura e encurtamento dos membros, assim como falta de cinto de segurança e o espaço entre os bancos dos ônibus. Na semana passada, andei pelas ruas do centro do Rio com a presidente da Associação de Nanismo do RJ (ANAERJ), Kenia Maria Rio, que também tem essa deficiência, e pude observar a dificuldade dela para perambular pelo local. Meios-fios altos demais, ruas com paralelepípedos, locais estratégicos sem rampas, muitos degraus sem necessidade e outros detalhes que só quem vive o dia a dia, sabe o que é. É quase impossível uma pessoa com deficiência sair de casa hoje em dia.

Precisamos fazer com que a Lei seja cumprida, fazendo valer o direito de ir e vir de todo cidadão, com estudos ergonômicos, urbanísticos para adequar os espaços para todos. Não só nas ruas, mas também em estabelecimentos, prédios públicos e privados, escolas, faculdades, locais de lazer, hospitais, conscientizando a sociedade sobre a acessibilidade de fato. Fico pensando pra que mundo irei entregar minha filha, quando ela tiver idade de andar por essas ruas de caos sem acessibilidade.

Por mais rampas, por menos meios- fios, por mais sensibilidade, por mais amor, por mais educação, por menos preconceito.




*Gisele Rocha, 29 anos, Jornalista, presidente da Inclusiva Comunicação e Assessora de Imprensa da Secretaria da Pessoa com Deficiência e dos Idosos de Mesquita- RJ. Casada, mãe da Anna Beatriz (6) e da Luiza Vitória (4), a última com deficiência, Displasia Diástrofica (caso raro de nanismo). Quem quiser dar alguma opinião ou indicar algum assunto pode enviar um email para inclusivacomunicacao@gmail.com

sábado, 25 de junho de 2016

Rio ganha "Dia Estadual do Nanismo"

Projeto de Daniele Guerreiro em defesa das pessoas com deficiência é sancionado pelo governador




O Projeto de Lei da deputada Daniele Guerreiro (PMDB) que institui o dia 25 de outubro como o "Dia Estadual do Nanismo" no calendário oficial do Rio foi sancionado pelo governador em exercício, Francisco Dornelles e publicado no Diário Oficial desta quinta, 23. A Lei 7.319/16 é uma vitória para a pessoa com deficiência, em especial com nanismo (baixa estatura).

"Sou assistente social, sempre lutei pela causa da pessoa com deficiência e sei de todas as dificuldades e preconceitos que eles sofrem. É um ganho para a pessoa com nanismo e que se estende aos seus parentes. Eles precisam ter garantias e viver com dignidade" comemora a parlamentar.

Kenia Maria Rio, presidente da Anaerj (Associação de Anões do Estado do Rio de Janeiro), comemorou. "Essa Lei é um marco para nossa comunidade, um grande avanço no combate ao preconceito que muitos de nós sofremos nas ruas e escolas. É mais fácil ridicularizar a aparência do que atentar para potenciais e capacidades da pessoa com nanismo", disse.


SP: Instituto Gabi promove festa julina em prol da Pessoa com Deficiência (02/07)

O Instituto Gabi, localizado na zona sul de São Paulo, promoverá sua tradicional Festa Julina, no dia 2 de julho, das 11h às 17h. A festança acontecerá em sua sede, localizada na rua Gustavo da Silveira, 128, Vila Santa Catarina, São Paulo.

Já estão programadas a quadrilhas com os atendidos, com as famílias e, claro, com os convidados que quiserem juntar-se à dança. E, para tornar a tarde ainda mais especial, não faltarão delícias tipicamente juninas.

A renda da Festa Julina já tem uma importante destinação: será revertida para manter o atendimento de Fonoaudiologia, essencial para as crianças e jovens atendidos. “Só temos verba para pagar pelos atendimentos até julho”, alerta o presidente do Gabi, Francisco Sogari, jornalista e professor universitário. “Nossa expectativa é dar sequência a partir do que angariarmos no evento”.

O Instituto Gabi comemora 15 anos de atuação. É uma referência de qualidade em seu campo de atuação, por meio do Núcleo de Apoio à Inclusão de Pessoas com Deficiência. O trabalho não envolve, apenas, crianças e jovens com deficiência, mas também, suas famílias.

Contato: Instituto Gabi


quarta-feira, 22 de junho de 2016

Coluna Inclusiva: Nanismo dentre as Leis de conscientização e ação

Por Gisele Rocha*



A comunidade da pessoa com nanismo no Rio de Janeiro, teve um encontro de gratidão. A presidente da Associação de Nanismo do Estado, Kenia Maria Rio se encontrou com a Deputada Daniele Guerreiro, em seu gabinete, que elaborou o Projeto de Lei, que institui o Dia Estadual do Nanismo. Em meio às emoções, a presidente agradeceu pela sensibilidade e dedicação da parlamentar, ao instituir a lei.

No Brasil são cerca de 400 tipos de nanismo e não existem planos de ação para combater o preconceito, nem para dar mais qualidade de vida a essas pessoas. Com o decreto 5.296, o nanismo é considerado deficiência no país, desde 2004, e considerados “anão ou anã” o individuo com até 1,45 metros.

A garantia dos direitos da pessoa com nanismo está assegurada por lei, mas quanto à conscientização de fato, já é outra história, na prática não funciona. As leis que estão sendo sancionadas pelo Brasil a fora serve para o combate ao preconceito, ao bullyng nas escolas, a ridicularização na mídia em programas sensacionalistas, incentivo a inclusão, saúde e acessibilidade.

Nada é pensado para os anões. È só andar pela rua que vimos à dificuldade que eles enfrentam, assim como para qualquer tipo de deficiência. Precisamos mudar tais pensamentos e culturas, através das leis, mas não só no papel, e sim com ações e atitudes, e nada melhor do que a própria pessoa para fiscalizar e cobrar das autoridades competentes, denunciando abusos e fazendo valer seus direitos.



*Gisele Rocha, 29 anos, Jornalista, presidente da Inclusiva Comunicação e Assessora de Imprensa da Secretaria da Pessoa com Deficiência e dos Idosos de Mesquita- RJ. Casada, mãe da Anna Beatriz (6) e da Luiza Vitória (4), a última com deficiência, Displasia Diástrofica (caso raro de nanismo). Quem quiser dar alguma opinião ou indicar algum assunto pode enviar um email para inclusivacomunicacao@gmail.com

segunda-feira, 20 de junho de 2016

SP: Crianças e adolescentes com câncer ganham Festa Junina, em Santo André (23/06)



A Casa Ronald McDonald ABC, administrada pela Associação Projeto Crescer por meio do Rotary Club, que atende crianças e jovens em tratamento de câncer, se transformará num grande Arraial nesta quinta-feira (23 de junho) a partir das 15 horas.

Organizada pela AVCC – Associação das Voluntárias para o Combate ao Câncer, a festa promete ser pra lá de animada e contará com barracas de brincadeiras, doces típicos, cachorro quente, pipoca e a tradicional quadrilha.

A Casa Ronald McDonald ABC está localizada na avenida Príncipe de Gales, 821 – Santo André - fone: (11) 4992-1440.


terça-feira, 14 de junho de 2016

Coluna Inclusiva: Do direito a educação: A criança com deficiência e a escola

Por Gisele Rocha*



Vai chegando a idade de colocar nossos filhos com deficiência na escola, vai dando aquele frio na barriga. As dúvidas e o medo do preconceito são uma constante. Certa vez comentei com um colégio que iria colocar a Luiza (4) com nanismo, e na época traqueostomizada, no colégio e a diretora negou, dizendo não ter dinheiro para a cuidadora e as adaptações necessárias. Como eu não sabia do que poderia ser feito e por vergonha, deixei pra lá.

É assim que muitas famílias se sentem, com medo do que as crianças possam vir passar na escola. Hoje a Lei Brasileira de Inclusão (LBI - Lei 13.146/15), proíbe a escola negar vaga para qualquer criança com deficiência e nas escolas privadas, proíbe também a cobrança de qualquer tipo de taxa extra  nas mensalidades e anuidades, podendo a família entra na justiça contra a escola e acionar imediatamente a secretaria de educação do município.

Em Agosto de 2015, a Confenen (Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino) entrou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI), no STF (Supremo Tribunal Federal) contra a obrigatoriedade, e defende que é de responsabilidade do ESTADO garantir a educação dos alunos.

No dia 09 de Junho de 2016, os ministros do STF decidiram por ampla maioria a improcedência da ADI 5357 organizada pela Confenen e a constitucionalidade da Lei Brasileira de Inclusão (Lei 13.146/15), reforçando e dando notoriedade a LBI, garantindo mais uma vez os direitos da pessoa com deficiência no âmbito da educação.



*Gisele Rocha, 29 anos, Jornalista, presidente da Inclusiva Comunicação e Assessora de Imprensa da Secretaria da Pessoa com Deficiência e dos Idosos de Mesquita- RJ. Casada, mãe da Anna Beatriz (6) e da Luiza Vitória (4), a última com deficiência, Displasia Diástrofica (caso raro de nanismo). Quem quiser dar alguma opinião ou indicar algum assunto pode enviar um email para inclusivacomunicacao@gmail.com

Dia Mundial do Doador de Sangue: Confira a programação do Hemorio (14/06)


No Dia Mundial do Doador de Sangue, comemorado em 14 de junho, o Hemorio, hemocentro do RJ que abastece mais de 180 unidades de saúde veiculadas ao SUS, reforça a importância da doação de sangue no estado do Rio de Janeiro: nos últimos meses, a unidade vêm recebendo cerca de 150 voluntários, apesar de ter capacidade instalada para cerca de 500 doadores por dia.

- A doação de sangue é um ato de amor ao próximo. Precisamos contar com o engajamento e a solidariedade da população para manter os estoques de sangue abastecidos. É fundamental que as pessoas se conscientizem quanto à importância de doar sangue sempre e fazer disso um hábito – destaca o secretário de Estado de Saúde, Luiz Antônio Teixeira Jr.


A Organização Mundial da Saúde estima que o ideal é que entre 3 e 5% da população de um país seja doadora constante de sangue – como acontece no Japão e nos Estados Unidos, por exemplo. No Brasil, este percentual é inferior a 2% e no Rio de Janeiro fica em torno de 1,5%. Com a proximidade dos Jogos Olímpicos, o comparecimento dos voluntários se faz ainda mais necessário.

- Datas como esta são importantes porque chamam a atenção da população. Qualquer pessoa pode precisar de uma doação de sangue a qualquer momento, portanto, ajudar é papel de todos. Sem qualquer dano à própria saúde, homens podem doar até quatro vezes por ano e as mulheres, três vezes. Doar sangue é um ato de cidadania, é fazer o bem – reforça Luiz Amorim, diretor do Hemorio.

Coleta Móvel na Ilha do Governador – Em parceria com a TV Globo, a equipe de coleta móvel de sangue do Hemorio estará na Vila Olímpica da Ilha do Governador, entre 10h e 15h.

Informações ao doador - O Hemorio (Rua Frei Caneca, n° 8, no Centro do Rio) funciona todos os dias, incluindo sábados, domingos e feriados, das 7h às 18h. Para doar sangue é preciso ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 kg, estar bem de saúde e portar um documento de identidade oficial com foto. Jovens com 16 e 17 anos só podem doar sangue com autorização dos pais ou responsáveis legais (o modelo da autorização pode ser obtido no site do Hemorio). Não é necessário estar em jejum, apenas deve-se evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação. Para mais informações, o voluntário deve ligar para o Disque Sangue (0800 282 0708), que esclarece dúvidas e informa o endereço das outras 25 unidades de coleta distribuídas pelo estado.