Pular para o conteúdo principal

Abram alas para o Outubro Rosa 2016!

Campanha de conscientização sobre prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama começa neste sábado com vasta programação até dia 31



A Associação dos Amigos e Amigas da Mama (Adama) de Niterói promove mais uma vez o Outubro Rosa da cidade. A programação é voltada para alertar mulheres - e também homens - sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer mamário. Com 20 anos de existência comemorados em 2016, a entidade reforça em todos os outubros a campanha que na verdade é sua bandeira de luta e atividade durante o ano inteiro. E só quem já passou pelo problema sabe a dor e a tristeza de ter um câncer, tanto para o paciente quanto para a família e os amigos, que acabam sofrendo junto.
Thereza Cypreste, em primeiro plano, com associadas da Adama
Fundada pela mastologista Thereza Cypreste e presidida por Teresa Gianelli – uma “vitoriosa” na luta contra a doença – a Adama começa os trabalhos cor de rosa no dia com panfletagem e orientações na Praia de Icaraí (altura da Rua Álvares de Azevedo) às 9h e depois na Tavares de Macedo, em frente ao número 244, das 11h às 17h. No domingo dia 2, a Capela de São Pedro em Jurujuba será iluminada de luz rosa após uma missa especial, às 18h30. Pede-se para o público ir vestido de cor de rosa.

Na segunda dia 3, tem a roda de conversa “Câncer de Mama: Mitos e Verdades” no Sincor às 14h, e na terça dia 4 às 15h uma ação na loja C.Nazar, do Shopping Icaraí. Quarta é a vez das “Adametes” (mulheres atendidas pela Adama) apresentarem suas histórias de vida em um encontro aberto na Policlínica Geral da Marinha de Niterói às 14h. Quinta dia 6 às 14h a roda de conversa sobre os mitos e as verdades do câncer de mama será na CLIN, com participação da psicóloga Thatiana Milchensen – que também comanda o papo com o público na sexta dia 7 no SESC às 14h, ao lado das Adametes.

 As associadas da Adama com a fundadora Theresa Gianelli, à esquerda
Segunda dia 10 a agenda continua com roda de conversa com a psicóloga Regina Fernandes no Espaço Avançado UFF às 9h, e continua às 14h com palestra de Thereza Cypreste no Posto do Médico de Família Cafubá III – a qual estará também na terça dia 11 na Policlínica Regional do Fonseca às 10h e na Câmara Municipal às 13h30. Quarta dia 12 às 8h acontece a quarta Caminhada Rosa Adama Com Maria, com saída do Forte Rio Branco e chegada ao Forte São Luís, onde haverá missa campal.

Num papo franco e claro, a fundadora da entidade fala da doença, sua prevenção e tratamento na quinta dia 13 às 14h no CEU Jurujuba e na sexta dia 14 às 9h na Associação dos Aposentados do Barreto. No mesmo dia, às 15h, a loja Swains da Moreira César distribui rosas e panfleta. Sábado dia 15 das 11h às 16h é a vez da Richards da Belisário Augusto promover a distribuição de flores e de folhetos explicativos. No dia seguinte, domingo 16, a partir das 17h, a Toca da Gambá veste rosa regada a samba da melhor qualidade, e reverte a renda dos ingressos à Adama.

Dia 17, haverá apresentação das Adametes na policlínica de Maria Paula às 9h e roda de conversa no posto de saúde do Engenho do Mato às 9h e no posto do Maravista às 13h; dia 18 às 9h a palestra “Desafios Enfrentados Pelas Mulheres Vítimas de Câncer após o Tratamento” na Alerj com participação de associadas da Adama Niterói; dia 19, distribuições de rosas e folhetos informativos na Universidade Estácio de Sá (Rua José Clemente) às 9h, roda de conversa no posto da Ilha da Conceição às 13h e no MV1 da Gavião Peixoto às 18h; dia 20 as palestras serão no posto de saúde de Santa Bárbara às 10h, no NEPP Niterói às 14h e na Drogaria Gallanti da José Clemente às 15h;

Dia 21 haverá papo aberto e esclarecedor com psicólogas no Instituto Fluminense de Saúde Mental (São Domingos) às 10h e no NHJ do Brasil às 11h, além de distribuição de rosas e folhetos informativos às 14h na Unhas Express da Moreira César. Dia 22 às 8h a Adama participa do segundo Encontro Inter-religioso Unidos Pelo Outubro Rosa na SBMRJ. Dia 24 as rodas de conversa serão no posto do médico de família do Cafubá I às 9h e do Cafubá II às 13h. Dia 25 a palestra da Dra. Thereza será na PUC às 14h e dia 26 no Colégio Notre Dame de Ipanema às 9h e no Serviço de Geriatria e Gerontologia da UFF (Jansen de Mello) às 13h; no mesmo dia de manhã, as Adametes e outras ex-pacientes panfletam no hospital Malu Sampaio.

Dia 27 a roda de conversa sobre o câncer de mama acontece na Clínica da Mulher Danielle Bastos (Moreira César) e no Grupo Espírita Caminho de Luz, ambas às 9h, rolando simultaneamente a apresentação das Adametes no Horto do Barreto; no mesmo dia às 19h o sambista, compositor e cantor Inácio Rios – parceiro de longa data da campanha e da entidade – faz show beneficente no Teatro Municipal de Niterói, de encerramento do Outubro Rosa 2016 na cidade, com renda revertida para a Adama. Mas a programação ainda continua dia 28 com palestras na concessionária EcoPonte às 10h e às 14h; dia 29 de manhã com a Caminhada Unidos Pelo Outubro Rosa na praça principal de Petrópolis; dia 30 novamente na Ponte às 10h e 14h; e dia 31 com rodas de conversa às 9h no PSF Colônia e às 14h na Universidade da Terceira Idade – a Univerti.


Postagens mais visitadas deste blog

RJ: Reame busca padrinhos afetivos para jovens preteridos da adoção

Instituição garante que referência familiar para convívio e autonomia social é algo fundamental e transformador

Situado em São Gonçalo e parceiro da nacionalmente reconhecida ONG Quintal de Ana, o Reame procura por padrinhos afetivos (presenciais, para aconselhamento e tutoria) a menores órfãos ou privados pela Justiça do convívio com a própria família. Ao alcance da maioria dos filantropos e dos bem intencionados, o programa propõe aos padrinhos doar tutoria e afeto a uma criança ou adolescente com menor probabilidade de adoção (acima de oito anos de idade) ou mesmo de reinserção em sua família verdadeira - dando-lhe, assim, referência familiar e autonomia social. Mais do que apoio financeiro, buscam-se altruístas que doem  presença e carinho.
"Quanto mais velho menor a procura por adoção. E se a reinserção familiar não é possível, o apadrinhamento afetivo torna-se o elo do tutelado com a sociedade. Trabalhamos na criança sua expectativa e ansiedade quanto a ter uma família, ir…

Norton: 5 dicas para que as crianças joguem Pokémon Go em segurança

Jogo é febre mundial e foi lançado ontem no País, conheça os perigos reais aos pequenos

Pokémon Go foi lançado no Brasil após muita espera de seus fãs, pessoas de todas as idades que estavam ansiosas para capturar seus próprios “monstrinhos de bolso”. O jogo utiliza a realidade aumentada e a localização geográfica (GPS) para transportar a pessoa para o universo do desenho, usando o mundo real. O objetivo do jogador é caminhar para encontrar os Pokémons e outros itens. Apesar de muito divertido, o jogo oferece perigos virtuais e reais, principalmente para as crianças. 
Veja abaixo 5 dicas que o engenheiro de segurança da Norton, Nelson Barbosa, listou para os pais orientarem seus filhos:
1. Cuidado com estranhos. O jogo envolve interação com outros jogadores na vida real, em áreas chamadas de ginásios e Pokéstops. Neste locais ocorrem as batalhas entre Pokémons e a compra dos itens, respectivamente. Os criminosos podem se aproveitar disso para roubar as vítimas. Por isto, caso não possa…

Coluna Inclusiva: Nanismo dentre as Leis de conscientização e ação

Por Gisele Rocha*


A comunidade da pessoa com nanismo no Rio de Janeiro, teve um encontro de gratidão. A presidente da Associação de Nanismo do Estado, Kenia Maria Rio se encontrou com a Deputada Daniele Guerreiro, em seu gabinete, que elaborou o Projeto de Lei, que institui o Dia Estadual do Nanismo. Em meio às emoções, a presidente agradeceu pela sensibilidade e dedicação da parlamentar, ao instituir a lei.
No Brasil são cerca de 400 tipos de nanismo e não existem planos de ação para combater o preconceito, nem para dar mais qualidade de vida a essas pessoas. Com o decreto 5.296, o nanismo é considerado deficiência no país, desde 2004, e considerados “anão ou anã” o individuo com até 1,45 metros.
A garantia dos direitos da pessoa com nanismo está assegurada por lei, mas quanto à conscientização de fato, já é outra história, na prática não funciona. As leis que estão sendo sancionadas pelo Brasil a fora serve para o combate ao preconceito, ao bullyng nas escolas, a ridicularização na …