Pular para o conteúdo principal

RJ: Colônia de Férias de Astronomia só para crianças em Cabo Frio

Cabo Frio, RJ. Uma iniciativa diferenciada e divertida vai acontecer em Cabo Frio: a 1ª Colônia de Férias de Astronomia para crianças entre 8 e 12 anos, de 17 a 22 de julho (segunda a sábado), das 14h às 18h. As atividades serão desenvolvidas em torno do tema “Explorando e Descobrindo o Universo”, com exibição de vídeos e documentários, sob a orientação do astrônomo Marcelo Fernandes, coordenador da Rede Rio Astronomia e em constante atuação em Cabo Frio..

A Colônia de Férias será realizada no Espaço Cultural Cereall, à Rua José Bonifácio, 28, Centro, onde são feitas as matrículas e a entrega da listinha de material que as crianças devem levar, juntamente com o lanche. A dinâmica da observação astronômica será feita no MART – Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio, com sede no Convento Nossa Senhora dos Anjos, Centro, Largo de Santo Antônio.

Segundo Marcelo, a ideia desta Colônia de Férias tão inovadora surgiu da constatação de que crianças e jovens não têm muitas oportunidades para se familiar com a Astronomia: "A nossa motivação, para realizar esta Colônia de Férias, justamente voltada para a garotada, veio da necessidade de proporcionar atividades culturais e de iniciação científica à Astronomia, mas como uma atividade recreativa. Através dos eventos que temos realizados ao longo dos anos, em especial depois da nossa parceria com o MART – Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio, fomos notando o interesse crescente pela Astronomia e seus encantos".

A cada evento, no MART, que conjuga palestra com observação astronômica com telescópio, aumenta o número de pessoas, de famílias que levam suas crianças. Todos, em especial a meninada, curtem muito descobrir fatos sobre o sol, a lua, as estrelas em geral, e suas respectivas influências em nossa vida, aqui na Terra. Como? A influência da Lua, por exemplo, nas atividades agrícola, tem orientado a humanidade desde tempos remotos, tanto para o plantio como para a colheita – destaca Marcelo.

Confira o vídeo sobre o evento:



Ele acrescenta que com grande satisfação, aumentou a participação da meninada nas realizações da Rede Rio Astronomia, em Cabo Frio "Eles gostam das “histórias” que contamos sobre os astros, sobre as descobertas dos astronautas, e sobre as invenções, a maioria pela NASA, que foram fundamentais para que eles pudessem efetuar voos interplanetários: alimentos, vestimentas, fraldas descartáveis, equipamentos básicos para uso diário, etc. Mas eles apreciam ainda mais contemplar os astros pelos aparelhos que disponibilizamos no jardim do Convento Nossa Senhora dos Anjos, sede do MART. Aliás, aproveito para reiterar os agradecimentos da Rede Rio Astronomia à direção do MART/IPHAM e equipe, nossos parceiros, que sempre acolhem com muito carinho os nossos eventos que já se tornaram mensais". conclui.


Informações: (22) 2629-6739.

Postagens mais visitadas deste blog

RJ: Reame busca padrinhos afetivos para jovens preteridos da adoção

Instituição garante que referência familiar para convívio e autonomia social é algo fundamental e transformador

Situado em São Gonçalo e parceiro da nacionalmente reconhecida ONG Quintal de Ana, o Reame procura por padrinhos afetivos (presenciais, para aconselhamento e tutoria) a menores órfãos ou privados pela Justiça do convívio com a própria família. Ao alcance da maioria dos filantropos e dos bem intencionados, o programa propõe aos padrinhos doar tutoria e afeto a uma criança ou adolescente com menor probabilidade de adoção (acima de oito anos de idade) ou mesmo de reinserção em sua família verdadeira - dando-lhe, assim, referência familiar e autonomia social. Mais do que apoio financeiro, buscam-se altruístas que doem  presença e carinho.
"Quanto mais velho menor a procura por adoção. E se a reinserção familiar não é possível, o apadrinhamento afetivo torna-se o elo do tutelado com a sociedade. Trabalhamos na criança sua expectativa e ansiedade quanto a ter uma família, ir…

Norton: 5 dicas para que as crianças joguem Pokémon Go em segurança

Jogo é febre mundial e foi lançado ontem no País, conheça os perigos reais aos pequenos

Pokémon Go foi lançado no Brasil após muita espera de seus fãs, pessoas de todas as idades que estavam ansiosas para capturar seus próprios “monstrinhos de bolso”. O jogo utiliza a realidade aumentada e a localização geográfica (GPS) para transportar a pessoa para o universo do desenho, usando o mundo real. O objetivo do jogador é caminhar para encontrar os Pokémons e outros itens. Apesar de muito divertido, o jogo oferece perigos virtuais e reais, principalmente para as crianças. 
Veja abaixo 5 dicas que o engenheiro de segurança da Norton, Nelson Barbosa, listou para os pais orientarem seus filhos:
1. Cuidado com estranhos. O jogo envolve interação com outros jogadores na vida real, em áreas chamadas de ginásios e Pokéstops. Neste locais ocorrem as batalhas entre Pokémons e a compra dos itens, respectivamente. Os criminosos podem se aproveitar disso para roubar as vítimas. Por isto, caso não possa…

Coluna Inclusiva: Nanismo dentre as Leis de conscientização e ação

Por Gisele Rocha*


A comunidade da pessoa com nanismo no Rio de Janeiro, teve um encontro de gratidão. A presidente da Associação de Nanismo do Estado, Kenia Maria Rio se encontrou com a Deputada Daniele Guerreiro, em seu gabinete, que elaborou o Projeto de Lei, que institui o Dia Estadual do Nanismo. Em meio às emoções, a presidente agradeceu pela sensibilidade e dedicação da parlamentar, ao instituir a lei.
No Brasil são cerca de 400 tipos de nanismo e não existem planos de ação para combater o preconceito, nem para dar mais qualidade de vida a essas pessoas. Com o decreto 5.296, o nanismo é considerado deficiência no país, desde 2004, e considerados “anão ou anã” o individuo com até 1,45 metros.
A garantia dos direitos da pessoa com nanismo está assegurada por lei, mas quanto à conscientização de fato, já é outra história, na prática não funciona. As leis que estão sendo sancionadas pelo Brasil a fora serve para o combate ao preconceito, ao bullyng nas escolas, a ridicularização na …