Pular para o conteúdo principal

Combata os males do século com os benefícios da homeopatia

Depressão, ansiedade, angústia e fobias podem ser tratadas com esta terapia que equilibra o corpo e a alma


Foto: Pixabay

Vivemos em um mundo onde tudo é “para ontem” e temos de nos desdobrar para darmos conta de todos os afazeres diários. E quando se trata das mulheres, em que a jornada de trabalho é dupla (ou tripla), não há como manter uma rotina equilibrada e com qualidade de vida. Assim, há quem recorra às terapias tradicionais, onde psicólogos e psiquiatras dão diretrizes e medicamentos para conter os malefícios deste cotidiano turbulento. Porém, e quem rejeita esta solução?

Eliete Fagundes. Foto: Divulgação
A homeopatia é uma das saídas para diversas situações. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que o Brasil é o país com mais pessoas depressivas na América Latina, em torno de 5,8% da população. Este número comprova que 11,5 mil brasileiros sofrem desta doença. E assim como a depressão, Eliete M. M. Fagundes, coordenadora do curso tradicional de Formação em Ciência da Homeopatia do Instituto Tecnológico Hahnemann, explica que muitos outros males podem ser tratados com este sistema alternativo de medicina.

Além da depressão, dentre as doenças também estão a ansiedade, transtornos de humor, problemas de memória e concentração, artritismo e problemas reumáticos em geral,  cansaço e falta de energia, problemas crônicos de coluna, joelhos, digestivos, cálculos biliares e renais. Vale lembrar que o tratamento homeopático é capaz de harmonizar o ser em sua totalidade, tanto nos aspectos físicos como nos aspectos mentais e emocionais”, ressalta.

Foto: Divulgação
E isto significa que ao optar pela homeopatia, além de tratar as patologias ou amenizar os sintomas, a pessoa também tem o fortalecimento do sistema imunológico e as diferentes constituições das personalidades. “Cada pessoa reage de maneira diferenciada aos tratamentos, independentemente das classificações das doenças. A cura dos tumores, por exemplo, está explicitada nas obras do Dr. J. Compton Burnett, que também desenvolveu a cura para a Tuberculose em 1880”, conta Eliete. Ela complementa explicitando que não há contraindicações para este tipo de tratamento, contanto que o remédio e a dosagem sejam adequados para cada caso.

Como age a Homeopatia para ser considerada tão completa?

Foto: Divulgação
Este tipo de tratamento busca um equilíbrio total do ser humano, Por isso, há remédios homeopáticos que regulam os hormônios responsáveis pelo bem-estar geral do corpo com base na causa mental, emocional ou hereditária, que acabou gerando a desarmonia. Eliete esclarece que o tratamento é personalizado e diferenciado, portanto, cada pessoa responderá de forma distinta ao tratamento. “Por exemplo, duas pessoas podem ter depressão, mas a causa pode ser diferente, então, a atuação da homeopatia e a escolha do remédio dependerão unicamente do contexto do adoecimento do indivíduo em questão”.

Desta forma, os efeitos dos remédios, que na linguagem das terapias naturais são chamados de “exoneração”, podem ocorrer como uma forma de autolimpeza  do organismo, dependendo também dos sintomas específicos e o grau de adoecimento de cada um. 

A proposta do SUS e o tratamento homeopático para a população

Eliete Fagundes. Foto: Divulgação
O Ministério da Saúde, por meio da Portaria 971/2006, reconhece a importância das Terapias Complementares Integrativas como parte das políticas de prevenção do SUS (Sistema Único de Saúde). Embora seja uma vitória para os profissionais especializados em Homeopatia, a oferta destas terapias para a população ainda é muito pequena. Já faz 10 anos que aconteceu este reconhecimento, porém, o sistema ainda não oferece efetivamente os tratamentos homeopáticos para toda a população. “Primeiro, porque não há profissionais capacitados e suficientes para o atendimento homeopático e, segundo, porque o próprio SUS não dispõe de estrutura adequada, como farmácia homeopática, protocolo diferenciado etc. Todos os profissionais da área da saúde interessados em trabalhar com essas terapias devem se unir e se organizar para proporem incentivo, formação, pesquisa em homeopatia e outras terapias”, ressalta a especialista.

E é nesta situação que o Instituto Tecnológico Hahnemann busca capacitar e formar cada vez mais profissionais aptos a exercerem a homeopatia. A instituição ministra cursos por todo o Brasil, visando atingir pessoas de todo o País interessadas em ingressar nesta área. “Há quase trinta anos o nosso instituto vem se esforçando para desenvolver pesquisas que contribuam para o bem-estar de toda a humanidade. Somos pioneiros em pesquisas no uso da Homeopatia nos solos, águas e em todo o meio ambiente, resgatando a prática homeopática em todos os reinos da natureza”, finaliza.

Postagens mais visitadas deste blog

RJ: Reame busca padrinhos afetivos para jovens preteridos da adoção

Instituição garante que referência familiar para convívio e autonomia social é algo fundamental e transformador

Situado em São Gonçalo e parceiro da nacionalmente reconhecida ONG Quintal de Ana, o Reame procura por padrinhos afetivos (presenciais, para aconselhamento e tutoria) a menores órfãos ou privados pela Justiça do convívio com a própria família. Ao alcance da maioria dos filantropos e dos bem intencionados, o programa propõe aos padrinhos doar tutoria e afeto a uma criança ou adolescente com menor probabilidade de adoção (acima de oito anos de idade) ou mesmo de reinserção em sua família verdadeira - dando-lhe, assim, referência familiar e autonomia social. Mais do que apoio financeiro, buscam-se altruístas que doem  presença e carinho.
"Quanto mais velho menor a procura por adoção. E se a reinserção familiar não é possível, o apadrinhamento afetivo torna-se o elo do tutelado com a sociedade. Trabalhamos na criança sua expectativa e ansiedade quanto a ter uma família, ir…

Doutores de Esperança recebem novos voluntários em Volta Redonda, na região Sul Fluminense

Volta Redonda, RJ. O grupo de humanização hospitalar "Viver de Rir - Doutores de Esperança", projeto da ADRA (Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais), promoveu na noite do último sábado uma cerimônia de formatura para os 100 voluntários da 6ª turma. O encontro aconteceu na Igreja Adventista do Sétimo Dia, em Volta Redonda. O projeto, que começou com dois trios de voluntários, hoje reúne mais de 150 pessoas. 
Treinos intensos, palestra sobre ética no voluntariado, capacitações diversas sobre conduta hospitalar e biosegurança, iniciação a palhaçaria, personagem, make up e figurino, visitas em hospitais e asilos. Para ser um voluntário do grupo, é preciso ter muita força de vontade e amor ao próximo, pois os trabalhos são realizados aos sábados e domingos. Os Doutores de Esperança já estão conhecidos na região Sul Fluminense por "especialistas em despertar sorrisos e emoções", além de colaborarem na recuperação dos pacientes.
O mais novo integr…