Pular para o conteúdo principal

Hemorio alerta para baixos estoques de sangue

Hemocentro funcionará normalmente nos dias 28, 29 e 30 de abril e no feriado de 1º de maio


O Hemorio, órgão da Secretaria de Estado de Saúde (SES), alerta para o baixo estoque de sangue. Desde o dia 1 de abril, foram coletadas diariamente 156 bolsas, em média, no hemocentro, que coordena a distribuição de sangue em todo o estado do Rio. Para manter os estoques em níveis confortáveis, são necessárias 250 bolsas diárias.

"Em abril, tivemos muitos feriados, as pessoas viajam, a cidade fica mais vazia e, consequentemente, recebemos menos doadores, mesmo funcionando normalmente. Mas a demanda por sangue não diminui. Então, contamos mais uma vez com o apoio da população carioca, que é sempre muito solidária, para que os estoques voltem a níveis satisfatórios", alerta Luiz Amorim, diretor-geral do Hemorio.

Para doar sangue, é preciso ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 kg, estar bem de saúde e portar um documento de identidade oficial com foto. Jovens com 16 e 17 anos só podem doar sangue com autorização dos pais ou responsáveis legais. O modelo da autorização pode ser adquirido através do site do Hemorio. Não é necessário estar em jejum, apenas evitar apenas alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes.

O Hemorio funciona todos os dias, das 7h às 18h, incluindo sábados, domingos e feriados, na Rua Frei Caneca, n° 8, no Centro do Rio. O hemocentro abre normalmente nos dias 28, 29 e 30 de abril e no feriado de 1º de maio.

Para mais informações, o candidato pode ligar para o Disque Sangue (0800 282 0708), que esclarece os pré-requisitos e dúvidas, além de informar o endereço das outras 26 unidades de coleta distribuídos pelo estado. O atendimento pelo telefone funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h.

Postagens mais visitadas deste blog

RJ: Reame busca padrinhos afetivos para jovens preteridos da adoção

Instituição garante que referência familiar para convívio e autonomia social é algo fundamental e transformador

Situado em São Gonçalo e parceiro da nacionalmente reconhecida ONG Quintal de Ana, o Reame procura por padrinhos afetivos (presenciais, para aconselhamento e tutoria) a menores órfãos ou privados pela Justiça do convívio com a própria família. Ao alcance da maioria dos filantropos e dos bem intencionados, o programa propõe aos padrinhos doar tutoria e afeto a uma criança ou adolescente com menor probabilidade de adoção (acima de oito anos de idade) ou mesmo de reinserção em sua família verdadeira - dando-lhe, assim, referência familiar e autonomia social. Mais do que apoio financeiro, buscam-se altruístas que doem  presença e carinho.
"Quanto mais velho menor a procura por adoção. E se a reinserção familiar não é possível, o apadrinhamento afetivo torna-se o elo do tutelado com a sociedade. Trabalhamos na criança sua expectativa e ansiedade quanto a ter uma família, ir…

Combata os males do século com os benefícios da homeopatia

Depressão, ansiedade, angústia e fobias podem ser tratadas com esta terapia que equilibra o corpo e a alma

Vivemos em um mundo onde tudo é “para ontem” e temos de nos desdobrar para darmos conta de todos os afazeres diários. E quando se trata das mulheres, em que a jornada de trabalho é dupla (ou tripla), não há como manter uma rotina equilibrada e com qualidade de vida. Assim, há quem recorra às terapias tradicionais, onde psicólogos e psiquiatras dão diretrizes e medicamentos para conter os malefícios deste cotidiano turbulento. Porém, e quem rejeita esta solução?

A homeopatia é uma das saídas para diversas situações. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que o Brasil é o país com mais pessoas depressivas na América Latina, em torno de 5,8% da população. Este número comprova que 11,5 mil brasileiros sofrem desta doença. E assim como a depressão, Eliete M. M. Fagundes, coordenadora do curso tradicional de Formação em Ciência da Homeopatia do Instituto Tecnológico Hahne…

Doutores de Esperança recebem novos voluntários em Volta Redonda, na região Sul Fluminense

Volta Redonda, RJ. O grupo de humanização hospitalar "Viver de Rir - Doutores de Esperança", projeto da ADRA (Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais), promoveu na noite do último sábado uma cerimônia de formatura para os 100 voluntários da 6ª turma. O encontro aconteceu na Igreja Adventista do Sétimo Dia, em Volta Redonda. O projeto, que começou com dois trios de voluntários, hoje reúne mais de 150 pessoas. 
Treinos intensos, palestra sobre ética no voluntariado, capacitações diversas sobre conduta hospitalar e biosegurança, iniciação a palhaçaria, personagem, make up e figurino, visitas em hospitais e asilos. Para ser um voluntário do grupo, é preciso ter muita força de vontade e amor ao próximo, pois os trabalhos são realizados aos sábados e domingos. Os Doutores de Esperança já estão conhecidos na região Sul Fluminense por "especialistas em despertar sorrisos e emoções", além de colaborarem na recuperação dos pacientes.
O mais novo integr…