Pular para o conteúdo principal

Consumo de transgênicos cultivados com o uso de herbicida pode ser prejudicial à saúde

São Paulo, SP. A indústria modifica geneticamente determinados alimentos para que os mesmos tornem-se resistentes, dentro outros fatores, a herbicidas e pesticidas (agrotóxicos), ou seja, são modificados para que tal alimento não morra com essas substâncias. Essas substâncias servem para matar insetos e outras formas de vida, com a exceção do próprio alimento modificado e resistente ao veneno, o qual o absorve, e é colhido e vendido para a população.

O Brasil está em primeiro lugar no ranking mundial de uso dessas substâncias, fazendo com que cada brasileiro consuma em média 5,2 litros de pesticidas por ano, tendo sido identificadas regiões que chegam a 120 litros por pessoa por ano. Com o passar dos anos as pestes agrícolas vêm tornando-se mais resistentes aos herbicidas e pesticidas, o que consequentemente faz com que as doses aplicadas sejam cada vez maiores.

Segundo Giovana Baldissera, nutricionista em São Paulo , isso pode ter um impacto negativo em nossa saúde.

"Inúmeros estudos com os GMOs e os herbicidas apresentam resultados com consequências alarmantes, como o unânime desenvolvimento de tumores em animais submetidos ao consumo de Glifosato (classificado pela OMS como provavelmente/potencialmente cancerígeno) Roundup®, da empresa Monsanto. Além de causarem danos à estrutura de nosso DNA, foram observados desequilíbrios hormonais com consequências diretas e graves sobre o sistema reprodutor, comprometimento neurológico e desenvolvimento de Parkinson e transtornos mentais." relata a nutricionista em seu artigo .

Enquanto diversos movimentos, manifestações, votações, projetos de lei tentam fazer frente a esse assunto, a indústria move bilhões de dólares para impedir as pessoas de saberem o que estão comendo. A lógica é de que se as pessoas souberem onde as substâncias venenosas estão, deixariam de consumir esses alimentos.

Na Noruega, por exemplo, há uma lei que determina que “não é permitido produzir nem comercializar alimentos que contenham qualquer tipo de substância que ofereça qualquer tipo de risco à saúde e/ou que comprometa a sustentabilidade e o meio ambiente”, incluindo o Glifosato. O Brasil ainda precisa avançar muito nesse sentido.

Alguns números e dados:

– Entre 2000 e 2012 houve um aumento de 288% na utilização de pesticidas no Brasil.
– Na última década, o mercado Brasileiro de agrotóxicos cresceu 2x mais que o mercado mundial.
– O Brasil é o país que mais utiliza agrotóxicos.

Fonte: www.andradenutricao.com.br/glifosato-transgenicos-o-que-voce-precisa-saber/

Postagens mais visitadas deste blog

RJ: Reame busca padrinhos afetivos para jovens preteridos da adoção

Instituição garante que referência familiar para convívio e autonomia social é algo fundamental e transformador

Situado em São Gonçalo e parceiro da nacionalmente reconhecida ONG Quintal de Ana, o Reame procura por padrinhos afetivos (presenciais, para aconselhamento e tutoria) a menores órfãos ou privados pela Justiça do convívio com a própria família. Ao alcance da maioria dos filantropos e dos bem intencionados, o programa propõe aos padrinhos doar tutoria e afeto a uma criança ou adolescente com menor probabilidade de adoção (acima de oito anos de idade) ou mesmo de reinserção em sua família verdadeira - dando-lhe, assim, referência familiar e autonomia social. Mais do que apoio financeiro, buscam-se altruístas que doem  presença e carinho.
"Quanto mais velho menor a procura por adoção. E se a reinserção familiar não é possível, o apadrinhamento afetivo torna-se o elo do tutelado com a sociedade. Trabalhamos na criança sua expectativa e ansiedade quanto a ter uma família, ir…

Norton: 5 dicas para que as crianças joguem Pokémon Go em segurança

Jogo é febre mundial e foi lançado ontem no País, conheça os perigos reais aos pequenos

Pokémon Go foi lançado no Brasil após muita espera de seus fãs, pessoas de todas as idades que estavam ansiosas para capturar seus próprios “monstrinhos de bolso”. O jogo utiliza a realidade aumentada e a localização geográfica (GPS) para transportar a pessoa para o universo do desenho, usando o mundo real. O objetivo do jogador é caminhar para encontrar os Pokémons e outros itens. Apesar de muito divertido, o jogo oferece perigos virtuais e reais, principalmente para as crianças. 
Veja abaixo 5 dicas que o engenheiro de segurança da Norton, Nelson Barbosa, listou para os pais orientarem seus filhos:
1. Cuidado com estranhos. O jogo envolve interação com outros jogadores na vida real, em áreas chamadas de ginásios e Pokéstops. Neste locais ocorrem as batalhas entre Pokémons e a compra dos itens, respectivamente. Os criminosos podem se aproveitar disso para roubar as vítimas. Por isto, caso não possa…

Coluna Inclusiva: Nanismo dentre as Leis de conscientização e ação

Por Gisele Rocha*


A comunidade da pessoa com nanismo no Rio de Janeiro, teve um encontro de gratidão. A presidente da Associação de Nanismo do Estado, Kenia Maria Rio se encontrou com a Deputada Daniele Guerreiro, em seu gabinete, que elaborou o Projeto de Lei, que institui o Dia Estadual do Nanismo. Em meio às emoções, a presidente agradeceu pela sensibilidade e dedicação da parlamentar, ao instituir a lei.
No Brasil são cerca de 400 tipos de nanismo e não existem planos de ação para combater o preconceito, nem para dar mais qualidade de vida a essas pessoas. Com o decreto 5.296, o nanismo é considerado deficiência no país, desde 2004, e considerados “anão ou anã” o individuo com até 1,45 metros.
A garantia dos direitos da pessoa com nanismo está assegurada por lei, mas quanto à conscientização de fato, já é outra história, na prática não funciona. As leis que estão sendo sancionadas pelo Brasil a fora serve para o combate ao preconceito, ao bullyng nas escolas, a ridicularização na …