domingo, 22 de janeiro de 2017

Musicoterapia desenvolve talentos e habilidades em crianças autistas

Os benefícios da musicoterapia em crianças autistas são os mais diversos e nas primeiras sessões é possível notar a evolução dos pacientes


Pixabay

Em todo o mundo, os episódios de autismo vêm aumentando, cerca de uma pessoa a cada 68, possui o recentemente denominado Transtorno do Espectro do Autismo que compreende diversas síndromes caracterizadas por perturbações do sistema neurológico. Diagnosticado, normalmente, até os três anos de vida, esse distúrbio compromete as habilidades de comunicação e interação social. Estudos realizados em vários países demonstram que a musicoterapia, auxilia o desenvolvimento de talentos e habilidades entre esses indivíduos e pode ser um importante agente de mudança.

Pixabay
A musicoterapia é um tratamento no qual os pacientes são submetidos a experiências musicais de forma terapêutica através de atividades de audição, performance, composição e improvisação musicais, tais exercícios são determinados de acordo com o histórico de cada pessoa, suas preferências e habilidades que precisam ser desenvolvidas. A música é um artifício, benfeitor a todas as crianças, mas para as autistas os benefícios podem ser ainda maiores. 

Os benefícios da música em crianças autistas são os mais diversos, porém os principais são: facilidade de comunicação, aumento de criatividade, redução de movimentos estereotipados, capacidade de interação social e satisfação emocional. Os resultados são alcançados a longo prazo, mas nas primeiras sessões é possível notar evolução dos pacientes. O importante desse tratamento não é o avanço musical, mas sim o crescimento pessoal.

Pixabay
A musicoterapia abre um leque de possibilidades, as crianças conhecem um novo mundo através da música, aprende notas musicais, sons diferentes, novos instrumentos musicais como órgão eletrônico, flauta, violoncelo, entre outros, se desenvolvendo a ponto de querer praticar a música em casa, neste ponto comprar um instrumento aumentará sua autoestima. De acordo com César Augusto Santiago, proprietário da Jubi , um órgão eletrônico , por exemplo, pode ser de grande ajuda para crianças maiores e até adultos autistas, pois tem a capacidade de melhorar o equilíbrio, a coordenação motora e a autoconfiança, um passo a mais em busca da qualidade de vida.

Fonte: Go Biz