Pular para o conteúdo principal

RJ: Atendimento especial para bebês com microcefalia e gestantes no Instituto Estadual do Cérebro

Paulo Niemeyer Filho, diretor do IEC/Divulgação
A Secretaria de Estado de Saúde lançou, nesta segunda-feira (29/02), o primeiro projeto do país voltado para o acolhimento de crianças com microcefalia expostas ao zika vírus e gestantes com diagnóstico positivo para a doença e ultrassonografia que indique possibilidade da malformação no feto. Elaborada pela equipe médica do Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer (IEC) e pela área técnica da SES, a iniciativa prevê o acolhimento das famílias impactadas, com a realização de consultas multidisciplinares e exames de alta complexidade, além da avaliação e indicação de tratamento pela equipe da unidade, uma das principais unidades de neurocirurgia no país. O início do atendimento é imediato para pacientes de todo o estado. 

"O acolhimento das famílias neste momento é fundamental. O atendimento no IEC vai garantir o acesso aos mais completos exames para investigar e diagnosticar as particularidades das condições clínicas dos casos.  Com os resultados, será possível indicar o tratamento mais adequado para cada paciente, observando suas necessidades específicas", explica Luiz Antônio Teixeira Jr.

A previsão é de que 50 pacientes sejam atendidos por mês, totalizando cerca de 500 atendimentos, entre consultas e exames, que envolverão os pacientes e suas famílias, a serem realizadas por equipes multidisciplinares - compostas por pediatras, neuropediatras, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, nutricionistas e psicoterapeutas, entre outros.  O projeto prevê ainda que as gestantes com diagnóstico confirmado para a doença e ultrassonografia que indique a possibilidade da malformação neurológica no feto sejam encaminhadas para exames de ressonância magnética no IEC.

"Com profissionais altamente qualificados, o Instituto tem a expertise necessária para avaliar e indicar  as melhores possibilidades de tratamento para estes pacientes, além da estrutura de excelência. A unidade terá ainda um papel importante  na coleta de informações para a realização de estudos sobre o assunto", explica o neurocirurgião Paulo Niemeyer, diretor do IEC.

Acolhimento imediato - O acolhimento dos pacientes e suas famílias é realizado com base em informações da subsecretaria de Vigilância em Saúde, que, desde junho de 2015, monitora os casos de microcefalia sob suspeita de ligação com o vírus zika assim como as notificações de gestantes com exantema (manchas vermelhas na pele). O encaminhamento para o IEC é feito por meio de regulação interna da Secretaria de Saúde. O mapeamento serve ainda para que a SES possa manter o acompanhamento de cada um.

Casos de microcefalia com suspeita de exposição ao zika vírus: Todos os casos de crianças com diagnóstico de microcefalia com suspeita de ligação com o vírus zika terão atendimento agendado do IEC. No primeiro momento, os pacientes serão atendidos por equipes multidisciplinares e contarão com avaliação pediátrica e neuropediátrica, fonoaudiologia e fisioterapia, além de atendimento psicoterapêutico, entre outros. Em seguida, serão agendados exames complementares que serão realizados na unidade, em uma segunda data. Com os resultados, os pacientes serão avaliados e terão o tratamento orientado para que possam ser direcionados para unidades de tratamento e reabilitação. A SES continuará acompanhando os casos.

Casos de gestantes com suspeita de zika vírus e alterações em exames de ultrassom: As mulheres grávidas que tenham exames positivos para o vírus zika e que apresentem alterações em exames de ultrassom indicando a possibilidade de microcefalia nos fetos terão agendamento para a realização de ressonância magnética a partir do 2º trimestre. Com a precisão deste tipo de exame, o resultado poderá colaborar para o acompanhamento pré-natal das gestantes em suas unidades de origem. As pacientes também serão encaminhadas para a realização de ultrassonografias no Rio Imagem. Todas continuarão a ser acompanhadas pela SES.

Postagens mais visitadas deste blog

RJ: Reame busca padrinhos afetivos para jovens preteridos da adoção

Instituição garante que referência familiar para convívio e autonomia social é algo fundamental e transformador

Situado em São Gonçalo e parceiro da nacionalmente reconhecida ONG Quintal de Ana, o Reame procura por padrinhos afetivos (presenciais, para aconselhamento e tutoria) a menores órfãos ou privados pela Justiça do convívio com a própria família. Ao alcance da maioria dos filantropos e dos bem intencionados, o programa propõe aos padrinhos doar tutoria e afeto a uma criança ou adolescente com menor probabilidade de adoção (acima de oito anos de idade) ou mesmo de reinserção em sua família verdadeira - dando-lhe, assim, referência familiar e autonomia social. Mais do que apoio financeiro, buscam-se altruístas que doem  presença e carinho.
"Quanto mais velho menor a procura por adoção. E se a reinserção familiar não é possível, o apadrinhamento afetivo torna-se o elo do tutelado com a sociedade. Trabalhamos na criança sua expectativa e ansiedade quanto a ter uma família, ir…

Combata os males do século com os benefícios da homeopatia

Depressão, ansiedade, angústia e fobias podem ser tratadas com esta terapia que equilibra o corpo e a alma

Vivemos em um mundo onde tudo é “para ontem” e temos de nos desdobrar para darmos conta de todos os afazeres diários. E quando se trata das mulheres, em que a jornada de trabalho é dupla (ou tripla), não há como manter uma rotina equilibrada e com qualidade de vida. Assim, há quem recorra às terapias tradicionais, onde psicólogos e psiquiatras dão diretrizes e medicamentos para conter os malefícios deste cotidiano turbulento. Porém, e quem rejeita esta solução?

A homeopatia é uma das saídas para diversas situações. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que o Brasil é o país com mais pessoas depressivas na América Latina, em torno de 5,8% da população. Este número comprova que 11,5 mil brasileiros sofrem desta doença. E assim como a depressão, Eliete M. M. Fagundes, coordenadora do curso tradicional de Formação em Ciência da Homeopatia do Instituto Tecnológico Hahne…

Doutores de Esperança recebem novos voluntários em Volta Redonda, na região Sul Fluminense

Volta Redonda, RJ. O grupo de humanização hospitalar "Viver de Rir - Doutores de Esperança", projeto da ADRA (Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais), promoveu na noite do último sábado uma cerimônia de formatura para os 100 voluntários da 6ª turma. O encontro aconteceu na Igreja Adventista do Sétimo Dia, em Volta Redonda. O projeto, que começou com dois trios de voluntários, hoje reúne mais de 150 pessoas. 
Treinos intensos, palestra sobre ética no voluntariado, capacitações diversas sobre conduta hospitalar e biosegurança, iniciação a palhaçaria, personagem, make up e figurino, visitas em hospitais e asilos. Para ser um voluntário do grupo, é preciso ter muita força de vontade e amor ao próximo, pois os trabalhos são realizados aos sábados e domingos. Os Doutores de Esperança já estão conhecidos na região Sul Fluminense por "especialistas em despertar sorrisos e emoções", além de colaborarem na recuperação dos pacientes.
O mais novo integr…